Consulta a diretórios municipais do MDB ratifica amplo apoio a aliança com Caiado

146 dos 160 diretórios do MDB em Goiás decidem por aliança que visa a reeleição do governador de Goiás

Gabriela Macêdo
Luiza Lopes

Confirmou-se o que já estava previsto. De 160 cartas apresentadas por diretórios municipais do MDB goiano, 146 foram favoráveis a aliança com a chapa a ser liderada pelo governador Ronaldo Caiado (DEM) para as eleições de 2022. 

O resultado da consulta feita aos diretórios foi apresentado nesta quinta-feira, 16, pelo presidente da sigla, Daniel Vilela, na reunião da Executiva, em Goiânia. Em manifestação anterior, 27 dos prefeitos 28 do partido já se diziam favoráveis à composição.

O comando da sigla, porém, buscando ainda mais legitimidade, optou pelo modelo de consulta considerado ampliado. O formato permitiu que os diretórios e comissões provisórias do partido reunissem seus membros e, assim, vereadores e demais lideranças políticas emedebistas dos municípios puderam deliberar sobre a proposta de aliança com o DEM.

A decisão da maioria em cada cidade foi oficializada em uma carta, que foi levada para a reunião da Executiva do partido.

Manifestação endossando a aliança também foi emitida por três dos quatro deputados estaduais da bancada do MDB e, ainda, pelo MDB Mulher e pela Juventude do partido, entre outros segmentos emedebistas.

Com a definição da aliança, Daniel Vilela deverá caminhar junto a Caiado no pleito do próximo ano. O que ainda não se sabe, no entanto, é se o presidente do MDB estadual vai ou não ocupar o cargo de vice-governador na chapa majoritária.

Ao fim da reunião, Daniel concedeu entrevista coletiva. Ele afirmou que ainda não há uma decisão final, já que o partido vai decidir definitivamente como caminhar em 2022 apenas nas convenções partidárias.

O presidente do MDB goiano ainda relembrou a ida do de Caiado ao diretório do partido e, também, que o próprio governador ressaltou a importância do MDB na vitória dele para senador em 2014.

Na reunião, estão presentes o senador Luiz do Carmo, o presidente da Federação Goiana de Municípios (FGM), Haroldo Naves, o vereador Paulo Cezar Martins – que anteriormente havia se manifestado contrário a aliança –, Andrey Azeredo e Gilmar Alves, ex-prefeito de Quirinópolis que também havia se posicionado de forma contrária. A justificativa apresentada por Gilmar tinha sido por questões referentes ao processo eleitoral de 2018, momento em que teve divergências políticas com o governador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.