Após Bolsonaro desautorizar equipe a falar, Lorenzoni diz que é hora de falar pouco

Deputado disse, ainda, que a vida da imprensa vai ficar mais complicada

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O coordenador político de Jair Bolsonaro (PSL), deputado Onyx Lorenzoni, esteve reunido com o presidente eleito em sua casa na manhã desta sexta-feira (2/11). Ao sair do local, Lorenzoni disse que recebeu orientações e afirmou que “este é o momento de falar pouco e trabalhar muito”.

Lorenzoni ainda completou: “a vida dos senhores e das senhoras da imprensa vai ficar um pouco complicada, porque quem vai falar quarta-feira é o futuro presidente do Brasil”. Na saída da reunião, o coordenador político também informou que Bolsonaro irá se encontrar com o presidente Michel Temer (MDB) na próxima quarta-feira (7/11), às 16h.

A agenda do futuro presidente prevê uma viagem a Brasília na terça-feira (6/10), dia em que deve se encontrar com representantes dos outros poderes; na quarta-feira (7/11) reunião com Temer, e na quinta-feira (8/11), volta para o Rio de Janeiro.

Além de Lorenzoni, Bolsonaro recebeu, no mesmo dia, a visita de um alfaiate e de um cabeleireiro.

Curiosos

Em um feriado nublado de Finados, curiosos e jornalistas se concentram em frente ao condomínio de Jair Bolsonaro, na Barra da Tijuca. Entre selfies e fotos do muro do condomínio, transeuntes tentam registrar imagens do endereço, em frente ao qual motoristas buzinam e vizinhos e turistas param para acompanhar a movimentação.

Entre os curiosos estava o administrador de empresas Marcos Coutinho, de 58 anos, que fez sua caminhada matinal na praia, comprou um abacaxi na feira e parou na calçada do Vivendas da Barra para tentar ver o presidente eleito. Vizinho de Bolsonaro na Praia da Barra, ele não reclama da movimentação.

“Não afeta a rotina. É um prazer ver essa movimentação”, disse, acrescentando que se considera esperançoso de que Bolsonaro fará um governo honesto.

Na casa de Coutinho está hospedada a bióloga Lilian Ribeiro, de 43 anos, que afirma ter vindo de Curitiba para tentar ver Bolsonaro. “Ele vai fazer mudanças. O Brasil vai melhorar muito”, torce.

Em volta da portaria, curiosos conversam sobre temas usados por Bolsonaro na campanha, como corrupção, Lei Rouanet e Venezuela.

Por volta de 11h, batedores entraram no condomínio para escoltar Bolsonaro, que saiu por volta de 12h. A movimentação levou a uma concentração ainda maior de curiosos no local. Bolsonaro foi aplaudido e saudado com gritos de “mito!” quando saiu.

Ao ver a concentração de apoiadores, Bolsonaro decidiu cumprimentá-los e pôs o corpo para fora do carro, ainda dentro da área restrita do condomínio. Os apoiadores tiraram fotos e fizeram vídeos do presidente eleito, que partiu em um comboio escoltado.

O destino do presidente eleito não foi informado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.