Após ataques de Iris, CEI da Saúde reforça possibilidade de pedido de impeachment

Em entrevista à rádio Bons Ventos, prefeito criticou o pedido de indiciamento contra ele e a secretária de Saúde 

Vereadores da CEI da Saúde e prefeito Iris Rezende | Foto: Reprodução

O prefeito Iris Rezende (MDB) e a secretária municipal de Saúde Fátima Mrué estão listados entre os possíveis indiciados de acordo com o relatório final da Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Saúde, apresentado pelo vereador Elias Vaz (PSB). Em entrevista à rádio Bons Ventos, o prefeito criticou a comissão e a classificou como o grande equívoco da atual legislatura. Ele também defendeu a permanência de Fátima à frente da pasta.

Em entrevista ao Jornal Opção, Elias Vaz afirmou que as declarações de Iris são incompreensíveis. “90% do que a CEI apurou foi por conta própria, nossa decisão não é nada pessoal. Na seleção de UTIs, por exemplo, reconhecemos que a secretária não tem responsabilidade. Estamos responsabilizando quem tem que ser com base em provas”, rebateu.

Elias disse que o prefeito Iris tem que ter maturidade suficiente para reconhecer que a secretária tem que ser afastada. “Essa é uma nomeação que precisa ter prestação de contas para o legislativo e a sociedade. Temos todo o direito de cobrar”, afirmou.

“Se o prefeito não consegue compreender isso, e por um capricho ele fala que não irá tirá-la, fica difícil entender que ele tem condição para continuar à frente da prefeitura”, declarou.

O vereador espera que, até a votação do relatório, marcada para este sexta-feira (18/5), o afastamento de Fátima Mrué seja consolidado, ou o pedido de impeachment de Iris será apresentado. Segundo ele, outros representantes da comissão têm o mesmo entendimento.

Procuradas, nem a prefeitura de Goiânia nem a SMS se manifestaram sobre nada relacionado ao caso.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ziro

Quem diria, até o Tribunal?! Enquanto isso na calada da noite, a prefeitura autorizou a construção com dinheiro público em área até então proibida ao custo de mais de R$ 20 milhões, dinheiro que seria suficiente para concluir todos os 10 CMEI com suas obras paradas com desculpa que não tem dinheiro, que seria possível atendimento de milhares de crianças. Pois sé, senhores, o Tribunal de Justiça está construindo um mega estacionamento privativo para as limousines dos desembargadores, enquanto isso as crianças estão a céu aberto, suas mães não conseguem trabalho, e o País entra numa das maiores crises dos… Leia mais