Após articulações, Goiânia ganha primeira Casa da Mulher Brasileira

Foi negociado um total de R$ 12 milhões em recursos a serem aplicados no local

Criada para oferecer atendimento humanizado às vítimas de violência doméstica, primeira a Casa da Mulher Brasileira (CMB) deve ser instalada em Goiânia em 2022. Após articulações com o governo federal, foi negociado um total de R$ 12 milhões em recursos a serem aplicados no local. A informação foi revelada ao Jornal Opção pela secretária de Relações Institucionais em Goiânia, Valéria Petersen.

“Lá contaremos com todo um conjunto de atendimento voltado às políticas para as mulheres. É uma assistência completa, de modo que ela não precisará sair dali para fazer nada”, disse a secretária. Entre os serviços fornecidos, terão uma Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM), atendimento psicológico, assistência social, entre outros serviços.

Em algumas CMBs existe, inclusive, atendimento da Defensoria Pública, do Ministério Público, da Polícia Civil e do Tribunal de Justiça no mesmo local, para que a cobertura seja ainda mais ampla. A diversa gama de serviços ofertados é para evitar o atendimento fragmentado à mulher, em um momento em que a vítima de violência se encontra em um estado de vulnerabilidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.