Após anos, 300 famílias recebem escrituras de imóveis em 11 bairros de Goiânia

Regulamentação fundiária faz parte do programa Primeira Escritura, da Prefeitura de Goiânia

Após 11 anos de espera pelo documento que assegura a validade jurídica do imóvel, Iraísa Nunes recebeu a escritura da residência na manhã desta sexta-feira, 25. A então moradora do setor Cerrado IV lembrou da segurança que o contrato garante, uma vez que o medo de deixar a casa sozinha e invadirem era uma realidade para ela. Já para Benedita Ludovico a espera foi um pouco maior.

Com 30 anos no aguardo da escritura, a moradora do Setor Leste Universitário comemorou a possibilidade de negociação do terreno agora que possui o documento: “A casa é minha. Com a escritura, posso até vender, se quiser”, disse. Os anos de espera das duas moradoras foram finalizados hoje, após a entrega de escrituras de imóveis pela Prefeitura de Goiânia em evento no Paço Municipal.

A regulamentação fundiária faz parte do programa Primeira Escritura. 300 famílias foram beneficiadas no evento desta manhã. Criado a partir da Lei n° 10.231/2018, o programa estabelece novas regras para política de habitação e regulamentação fundiária no município de Goiânia. Os bairros contemplados hoje foram o Leste Universitário, Jardins do Cerrado, Residencial São Geraldo, Novo Mundo, Estrela Dalva, Jardim Conquista, Nova Esperança, Mundo Novo, Real Conquista, América Latina e Monte Carlo. A atual gestão municipal informou, por nota, que um total de 2,3 mil imóveis já foram atendidos pelo projeto. 

A segurança e estabilidade que a escritura viabiliza para as famílias foram apontadas pelo prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos).“Ninguém conseguirá tomar o que é de vocês, a partir de hoje”, disse o prefeito. “Famílias que moram em casas com escritura conseguem dormir mais tranquilas”, pontuou. Na entrega do documento, Rogério Cruz também recebeu a placa da Associação dos Deficientes Físicos do Estado de Goiás (Adfego) e de moradores do Residencial São Geraldo.

Também estiveram presentes o titular da Secretaria Extraordinária de Regularização Fundiária, Carlin Café (MDB), e Maria Clara Carvalho, presidente da Adfego. A meta do programa Primeira Escritura, agora, é contemplar 100% dos imóveis até o ano de 2024, informou o secretário da pasta de regulamentação fundiária. Para Maria Clara, o sonho da posse da escritura é importante. “Conheço a história de muitos aqui, suas dificuldades, e fico muito emocionada porque a luta valeu a pena. Hoje é dia de ver um grande sonho realizado”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.