Após 5 dias, incêndio no Parque Nacional das Emas é controlado

Fogo atingiu 28 mil dos 133 mil hectares do parque que se localiza no sudoeste goiano

Profissionais no combate ao incêndio do Parque Nacional das Emas | Foto: Reprodução

Após quase cinco dias na tentativa de combater as chamas do incêndio no Parque Nacional das Emas, na manhã esta terça-feira, 13, bombeiros conseguiram controlar o fogo. No entanto, quase 28 mil hectares do parque que se localiza no sudoeste goiano foram atingidos. Ao todo, a área que é predominantemente composta por Cerrado possui quase 133 mil hectares que passam pelos municípios de Chapadão do Céu, Mineiros e Serranópolis. No entanto, já que a área de visitação foi preservada, o parque já está aberto.

Ao G1, o diretor do parque, Marcos da Silva Cunha explicou que o fogo começou após equipe “perder o controle” na construção de aceiros. Isso, porque os dois caminhões utilizados no trabalho deram pane. Após o controle do fogo, os profissionais permanecem na espreita para o caso de o incêndio reiniciar em algum ponto.

Ao todo, 60 profissionais atuam no combate ao fogo, e a partir do controle do incêndio, grande parte deve deixar o local ainda nesta terça. Os demais devem continuar até a extinção total dos focos. Segundo o diretor, o clima seco dificultou o trabalho dos brigadistas no combate ao incêndio.

Os aceiros são feitos pelos profissionais a partir de uma faixa queimada de vegetação: os brigadistas colocam fogo e logo em seguida o apagam. Esse trabalho é realizado justamente para proteger o local e evitar grandes queimadas durante épocas de tempo seco. O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) divulgou mapa que mostra o avanço do incêndio ao decorrer dos dias pela vegetação.

Mapa de avanço do incêndio na vegetação do Parque Nacional das Emas | Foto: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)

No último domingo, 11, 30 brigadistas do ICMBio atuaram no combate ao fogo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.