Aplicativo que ajuda a mapear preço do combustível é lançado em Goiás

O Ministério Público de Goiás (MP) e a Universidade Federal de Goiás (MP) são responsáveis pelo aplicativo Olho na Bomba

Foto: Reprodução

O Centro de Apoio Operacional do Consumidor e Terceiro Setor, do Ministério Público de Goiás (MP), e a Universidade Federal de Goiás (UFG) comemoram o aniversário de 28 anos do Código de Defesa do Consumidor (CDC) com o lançamento do aplicativo Olho na Bomba. O evento será realizado no auditório do edifício-sede do MP, nesta terça-feira (25/9).

O aplicativo permite que, por meio de um GPS, o consumidor identifique postos de combustíveis que estão mais próximos e seus respectivos preços. O objetivo é concretizar o direito de informação do consumidor, gerando um mercado com preços mais justos. Além disso, fornecer aos órgãos de fiscalização uma ferramenta de combate a práticas abusivas e condutas que vão contra a política de concorrência.

Por meio da plataforma, o usuário também consegue traçar rotas para qualquer destino no Estado de Goiás e ser informado sobre os postos existentes no caminho. Os preços mais baixos e mais altos são destacados. Também será possível escolher os postos favoritos e visualizar os preços em forma de lista por cidades.

Caso o usuário constate divergência entre o preço apresentado no aplicativo e aquele efetivamente cobrado, poderá denunciar no próprio aplicativo. O Olho na Bomba é habilitado para ler o QRcode da nota fiscal para compará-la com o preço informado pelo estabelecimento ao MP-GO. O download será gratuito e estará disponível para os sistemas iOS e Android, a partir desta terça-feira (25/9).

“O aplicativo funcionará em todo o Estado de Goiás e alcançará os postos existentes em rodovias. Além disso, diferentemente dos demais apps, os preços apresentados pelo Olho na Bomba serão fornecidos pelos próprios estabelecimentos revendedores de combustíveis, que são obrigados a realizar esta comunicação em razão da Lei Estadual n° 19.888/17”, afirma o coordenador do CAO Consumidor.

O projeto só foi possível após aprovação da Lei Estadual nº 19.888, publicada em 21 de novembro de 2017, que determina que “os postos revendedores de combustíveis são obrigados a informar ao Ministério Público do Estado de Goiás o valor cobrado pelo litro da gasolina, do etanol e do diesel”. No evento de lançamento serão detalhadas as etapas de desenvolvimento do aplicativo e suas funcionalidades.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.