Apesar de considerar Caiado um deputado “fantástico”, Waldir Soares recusa convite para SSP por honrar votos dos eleitores

Para o tucano, trata-se de uma questão de respeitar seus eleitores e batalhar para promover as reformas para que, de fato, haja mudanças significativas no combate à violência

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Apesar de se considerar honrado com o “convite” realizado por Ronaldo Caiado (DEM) para que possam ser parceiros na Secretaria de Segurança Pública caso Iris Rezende (PMDB) seja eleito governador, o delegado Waldir Soares (PSDB) declara que não pretende desvalorizar os votos que recebeu no pleito deste ano. Para o tucano, trata-se de uma questão de respeitar seus eleitores e batalhar, na Câmara dos Deputados, para promover as reformas para que, de fato, haja mudanças significativas no combate à violência.

O delegado diz que Caiado “é um deputado federal fantástico e fora do comum”, e destaca o fato de ele ter sido considerado, por várias vezes, um dos melhores parlamentares do país. “Então, ao invés de trabalhar com ele na secretaria, espero que possamos fazer uma parceria no Senado. Ele defende bandeiras que eu defendo, como a redução da maioridade penal e o endurecimento das penas”, disse.

O delegado pontua, no que pode ser considerado uma alfinetada a Caiado, que, no momento, seu maior interesse é honrar os votos recebidos e representar seus eleitores na capital federal. “Fico muito agradecido, mas vou para Brasília. Nenhum secretário de Segurança Pública vai fazer algo significante sem que haja uma reforma na legislação. Espero que ele venha para o Congresso para que possamos fazer uma dobradinha aqui”, afirmou.

Waldir também mandou um alerta para Caiado dizendo que o democrata está sendo vítima de uma “rasteira” de Iris Rezende. De acordo com o tucano, Caiado, que é “uma pessoa honradíssima”, é o potencial próximo governador de Goiás, depois das eleições deste ano.

“Com Marconi fora da disputa, o nome dele é um dos mais fortes. Sabendo disso, Iris, que deve vir a ser concorrente dele, está criando uma situação para desgastar a imagem de Caiado”, analisou. “Iris está fazendo algo parecido com o que fez com Henrique Meirelles, Vanderlan Cardoso e Júnior Friboi.”

A respeito das perseguições que diz ter sofrido enquanto delegado, e que foram utilizadas por Caiado como um dos argumentos para leva-lo para a SSP, Waldir garante que as represálias sofridas não tiveram qualquer relação com o governo estadual. “Foi o grupo do João Campos (PSDB) que me mandou para a corregedoria 20 vezes e me transferiu de delegacias para lá e para cá”, afirmou. “Foi briga por manutenção de espaço, não tinha nada a ver com o governo.”

Deixe um comentário