“Apesar da queda na arrecadação, Estado precisa arcar com folha de pagamento”, diz Caiado

“Já está sendo feita toda uma economia para que no dia 30 tenhamos condições de pagar os servidores e para que a máquina continue a funcionar e consiga dar atenção social, saúde e segurança à população”, argumentou o governador

Governador Ronaldo Caiado | Foto: Lívia Barbosa

Após a Companhia Saneamento de Goiás (Saneago) anunciar a manutenção da suspensão do corte de água para inadimplentes durante a pandemia, o governador Ronaldo Caiado (DEM) comentou que as fontes de arrecadação do Estado foram altamente comprometidas nos últimos meses.

“A Saneago tem passado momentos difíceis, delicados, para sobreviver com esse cancelamento de cobranças às pessoas que não têm poder aquisitivo para quitar suas contas neste período”, avaliou Caiado.  

O governador falou que, apesar da queda na arrecadação, o Estado precisa arcar com suas responsabilidades, entre elas a folha de pagamento e o repasse aos demais poderes. Ele destacou ainda que Goiás tem deixado de repassar 20% aos poderes e ao próprio Executivo.

“Já está sendo feita toda uma economia para que no dia 30 tenhamos condições de pagar os servidores e para que a máquina continue a funcionar e consiga dar atenção social, saúde e segurança à população”, argumentou o governador, ao ponderar que se as contas colapsarem o Estado não conseguirá atender às demandas dos goianos.

Ainda de acordo com o governador, Goiás foi um dos estados que mais facilitou os pagamentos de tributos. Ele citou isenções de tributos na energia elétrica e prorrogação de pagamentos de taxas no Detran. Por fim, Caiado disse que todas as facilitações possíveis estão sendo feitas, “mas não podemos parar o Estado e comprometer o atendimento ao cidadão”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.