Apesar da atuação dos militares, início de agosto sinaliza disparada nas queimadas na Amazônia

Entre as cidades Apuí e Novo Aripuanã, no Amazonas, focos de incêndio passaram de apenas 5 nos primeiro dias de julho para 936 neste início de agosto, aumento de 18.620%

Foto: Reprodução.

Dados do boletim de queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostraram que o número de focos de incêndio aumentou em todo país, chegando 4.279. Apesar da operação de Garantia da Lei e da Ordem, que está na região amazônica desde maio, as queimadas começaram a dar sinais que podem disparar neste mês de agosto, com algumas regiões registrando um crescimento exponencial de focos de incêndio na virada do mês.

O estado do Amazonas viu um crescimento acelerado de focos entre as cidades de Apuí e Novo Aripuanã. Nesses dois municípios, as queimadas passaram de apenas 5 nos primeiro dias de julho para 936 neste início de agosto, um aumento de 18.620%. No Pará, o crescimento foi de 1.774%, chegando a 1.162 focos; No Acre, de 1.564%, com 183 pontos de queimadas.

Coordenador do Programa Queimadas do Inpe, o pesquisador Alfredo Setzer, alertou que a comparação de um período de apenas três dias pode não refletir o comportamento no restante do mês, mas confirma que é um crescimento expressivo, especialmente se considerando que agosto é quando as queimadas na Amazônia Legal começam efetivamente a crescer.

“De qualquer forma, os números são muito altos. Mais de mil focos em um só dia com certeza é significativo. O sul do Pará e o sul do Amazonas têm grande atividade de fogo, grandes desmatamentos e grandes queimadas”, disse Setzer para a agência Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.