Apenas um novo vereador participa de audiência pública sobre Lei Orçamentária de 2017

Jovem Lucas Kitão (PSL) foi o único que acompanhou discussão sobre orçamento da Prefeitura de Goiânia 

Audiência Pública que discute a Lei Orçamentária Anual de 2017 | Foto: Larissa Quixabeira

Audiência Pública que discute a Lei Orçamentária Anual de 2017 | Foto: Larissa Quixabeira

O vereador eleito Lucas Kitão (PSL) foi o único dos novos parlamentares de Goiânia a participar de audiência pública sobre a Lei Orçamentária de 2017 que tramita na Câmara Municipal.

O encontro na manhã desta quarta-feira (9/11) foi convocado pela vereadora e relatora do projeto na Comissão Mista, Cristina Lopes (PSDB), e teve a presença do vereador Paulo Magalhães (PSD), técnicos da Secretaria de Finanças da Prefeitura de Goiânia e representantes da sociedade civil.

Lucas Kitão justifica que é muito importante que os novos parlamentares participem das discussões para o próximo ano. “É importante participar dessa transição, até mesmo para chegar na Câmara sabendo da realidade do nosso município”, afirmou.

A próxima legislatura da Câmara Municipal de Goiânia, que começa em fevereiro do ano que vem, já é marcada pela renovação, uma vez que a maioria dos vereadores eleitos, 22 de 35, são novos na Casa. Apenas 13 conseguiram ser reeleitos.

Portanto, a vereadora (reeleita) Cristina Lopes (PSDB), convidou a todos os parlamentares desta e da próxima legislatura para participarem de audiência pública. Também foi convidado o prefeito eleito Iris Rezende (PMDB), que não compareceu mas enviou representante.

Apenas um vereador que já está na casa participou do encontro: Paulo Magalhães (PSD). Sabrina Garcêz (PMB) e Carlim Café (PPS) também compareceram mas não acompanharam toda a audiência nem fizeram interferências durante as discussões.

A falta de interesse dos parlamentares também foi alvo de críticas por parte da relatora. “Poucos vereadores apresentaram emendas porque muita gente acredita que a LOA é peça de ficção, mas este é o momento de discutirmos como serão usados os recursos na nossa cidade, que vai fazer a diferença na lâmpada que vai faltar no poste, no buraco do asfalto. Não participar disso é desmerecer o próprio papel da Câmara”, arrematou.

Outra audiência pública está marcada para a próxima sexta-feira (11/11), às 9h30 da manhã. A previsão é de que a relatora do projeto apresente parecer à Comissão Mista na próxima semana.

A Lei Orçamentária Anual (LOA) estima a receita em R$ 5.193.388.000 e fixa a despesas da Prefeitura para o ano seguinte, valor que representa uma diminuição de 1,12% dos recursos comparado com os valores de 2016, sem o desconto da inflação. Os maiores gastos previstos são com Saúde (R$ 1.388.534.000), Educação (R$ 922.678.000), Administração (R$ 853.181.000), Transporte (R$ 526.806.000) e Previdência (R$ 456.980.000).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.