Algumas verificações de consistência feitas pelo ranking envolvem dados fiscais e contábeis que são utilizados no cálculo da Capacidade de pagamento (Capag)

 

De acordo com o Ranking de Qualidade da Informação Contábil e Fiscal, divulgado pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN), Aparecida de Goiânia chegou a 2021 na 5442ª posição entre os 5.568 municípios do Brasil. O município vinha despencando desde 2019.

O indicador busca a melhoria da qualidade e da consistência dos dados fiscais e contábeis enviados pelos entes da Federação ao Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro (Siconfi). Em 2021, Aparecida de Goiânia perdeu 695 posições, obtendo nota E, a mais baixa. Conforme o estudo, a cidade alcançou apenas 23,4% de acertos. Algumas verificações de consistência feitas pelo ranking envolvem dados fiscais e contábeis que são utilizados no cálculo da Capacidade de pagamento (Capag).

Antes, o município já havia registrado queda considerável no Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF), divulgado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro e que avalia, também, a boa gestão fiscal dos municípios brasileiros. Nesse estudo, o município perdeu 223 posições.

No estudo divulgado pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Aparecida de Goiânia já tinha caído no Ranking de Transparência 2022. Nessa escala, Aparecida obteve nota 81,45, ocupando a 147ª posição entre os municípios goianos. Os dados referem-se ao ano de 2021.

O resultado compreende a gestão do ex-prefeito de Aparecida de Goiânia e pré-candidato ao governo de Goiás, Gustavo Mendanha (Patriota), que deixou o segundo mandato no executivo do município em março deste ano para concorrer às eleições.

Goiás

Em contrapartida, o estado de Goiás cresceu no Ranking 2021 divulgado pela Secretaria do Tesouro Nacional. De acordo com o estudo, o estado obteve nota A na avaliação, alcançando 96,35 pontos de 100 possíveis. Com isso, o estado avançou duas posições em relação ao ranking de 2020 e 14 posições em relação à avaliação de 2019, quando ocupava a 19ª posição.

Também no ranking de Competitividade dos Estados, um estudo do Centro de Liderança Pública, que avalia 65 indicadores, organizados em 13 pilares temáticos, Goiás avançou três posições. O Estado, que era 13º em 2019, hoje ocupa a 10ª posição.