“Aparamos nossas diferenças”, diz Lissauer Vieira sobre Daniel Vilela

Presidente da Alego garantiu que diálogo amenizou divergências com o presidente estadual do MDB por foco no projeto de Caiado

Ao fim de outubro do ano passado, o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira, movimentou o cenário político com declarações polêmicas sobre Daniel Vilela (MDB), quando este foi escolhido como pré-candidato a vice na chapa do governador Ronaldo Caiado (UB). Agora, no entanto, garante que a relação com o emedebista está com divergências suavizadas, em prol de “coesão dentro da base aliada do governador”.

No início da semana, Lissauer e Daniel estiveram juntos na abertura da 19ª edição da Tecnoshow, em Rio Verde. Além deles, também estiveram presentes na abertura da feira de tecnologia rural o governador Ronaldo Caiado, a primeira-dama Gracinha Caiado; o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz; o deputado federal Delegado Waldir; além de secretários de Estado e presidentes de autarquias; vereadores, empresários, produtores rurais e lideranças regionais.

A aproximação ocorre por conta da prioridade do objetivo em comum que os dois possuem. Daniel já parece confirmado como vice de Caiado há algum tempo e o presidente da Alego integra os trabalhos de composição da base aliada. Em fevereiro, ele havia se retirado da disputa eleitoral para focar na vida pessoal, mas acabou filiando-se ao PSD, por onde pode concorrer a uma vaga no Senado pela base caiadista. “Os partidos tiveram que conversar entre si para composição de chapa, então aparamos nossas diferenças. Não eram coisas graves que não podiam ser resolvidas. Essas arestas foram aparadas”, garantiu Lissauer.

Agora, ele discute com outros membros do PSD a possibilidade de ser o candidato do partido para a cadeira de Goiás no Senado Federal. Num primeiro momento, o partido focou em garantir chapas de deputados estaduais e federais como primeira meta, e agora parte para a segunda discurso. “Com a saída do Henrique Meirelles, o partido teve que se reestabelecer, mas essa montagem vai ser decidida lá na frente. Por agora, só especulações”, afirma.

A possibilidade de Lissauer assumir o posto de vice e Daniel concorrer ao Senado chegou a ser ventilada nos bastidores, mas foi negada pelo presidente da Alego. “Isso é uma conversa não existe. Já está consolidado pelo governador desde setembro”, esclarece sobre o posto de Daniel Vilela como vice de Caiado.

Relembre a tensão

Em 28 de outubro de 2021, Lissauer Vieira disse, em entrevista a uma rádio de Rio Verde, não ter e não querer ter relacionamento político com Daniel Vilela. “Não acredito nas ações dele e na forma dele fazer política. Já no governador eu acredito. Talvez não encha uma mão o número de pessoas em quem não acredito. E essa [Daniel] é uma delas”, alfinetou.

À época, Lissauer estaria descontente com a escolha de Vilela para a chapa governista. Em resposta, Daniel teria pontuado que a escolha poderia ter gerado frustrações em Lissauer, por ter colocado na cabeça que seria o vice de Caiado. “Nunca tive nenhuma relação próxima com ele, nem pessoal, nem política, afinal sempre tivemos em grupos opostos. Ele era da turma do Marconi e eu oposição”, afirma Daniel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.