Anvisa suspende comercialização de produtos Kinder por risco de salmonella

Casos internacionais de infecção provocaram fechamento de fábrica e recall de produtos em mais de dez países

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu, desde quinta-feira, 14, a comercialização, a distribuição, a importação e o uso dos produtos da marca Kinder no Brasil. A decisão surgiu após alerta internacional por suspeita de contaminação por salmonella em produtos da marca.

De acordo com a empresa Ferrero, que produz os chocolates, os casos foram percebidos em doces fabricados na Bélgica, que não são distribuídos no Brasil. Diante disso, a Kinder esclareceu que os produtos com risco de contaminação não afetam os chocolates e ovos de Páscoas vendidos por aqui.

Os casos começaram no Reino Unido, quando um surto de salmonella no país levou ao recall do produto Kinder Surprise (Kinder Ovo, no Brasil) das prateleiras. Após investigações da Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido (UKHSA), foram encontradas suspeitas de ligação dos casos de intoxicação do país com o consumo dos chocolates Kinder, fabricados em Arlon, na Bélgica. A partir da conclusão, o recall passou a ocorrer em uma série de países.

Até o momento, já foram recolhidos produtos em quase 30 países, só na Europa. A lista completa inclui Áustria, Reino Unido, França, Suíça, Alemanha, Eslovênia, Itália, Suécia, Noruega, Bélgica, Dinamarca, Irlanda, Holanda, Luxemburgo, Finlândia, Croácia, Bulgária, Sérvia, Macedônia, Romênia, República Checa, Grécia, Chipre, Hungria, Portugal, Espanha, Polônia, Estônia e CEI (Comunidade dos Estados Independentes). Fora da Europa, a Ferrero também recolheu produtos em Austrália, México, Canadá, Argentina e Israel.

Segundo a Ferrero do Brasil, os chocolates vendidos por aqui são produzidos na América do Sul, então não possuem ligação com os produtos contaminados na Europa. Em nota, a empresa declarou que “o recall de produtos que acontece em outros países é especificamente de itens fabricados na Bélgica e que não são distribuídos pela Ferrero do Brasil”.

Ainda assim a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, optou por notificar a empresa para pedir esclarecimentos sobre os riscos. A resolução da Anvisa vale para eventuais lotes importados da Bélgica, que podem ser identificados a partir do rótulo dos chocolates. Caso a embalagem mencione produção europeia, especificamente em Arlon, na Bélgica, é preciso atenção.

Surto de salmonella

Segundo dados do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC), 156 casos de Salmonella typhimurium foram relatados em dez países da União Europeia e do Reino Unido desde o início do ano. O primeiro deles ocorreu no Reino Unido, em 7 de janeiro. No mês seguinte já eram 18 casos, só dentro do país. A maioria dos contaminados ocorre em crianças, especialmente com menos de 10 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.