Tradicionalmente, padrão adotado é de 70%, mas novo percentual pode ser adotado no caso de falta de alternativas

Vacina coronavírus | Foto: Reprodução.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) poderá flexibilizar os critérios para aprovação de uma vacina contra a Covid-19 e liberar um imunizante com 50% de eficácia mínima.

O anúncio foi dado durante reunião da Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19, da Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira, 30. Tradicionalmente, o padrão adotado é de 70%. No entanto, no caso de falta de alternativas, novo percentual é uma possibilidade.

“Quanto de eficácia mínima é necessária para se aprovar uma vacina? Tradicionalmente, nós temos o critério de 70% e a maioria dos estudos foi desenhada, delineada, para se mostrar uma eficácia de 70%. afirmou o gerente-geral de medicamentos e produtos biológicos da Anvisa, Gustavo Mendes Lima Santos.

“Mas na situação de pandemia, tendo em vista a ausência de alternativas terapêuticas, o impacto global que essa pandemia trouxe, é possível flexibilizar esse critério para 50%, desde que esse balanço risco/benefício esteja muito claro”, acrescentou o representante.