Anúncio de greve não prejudica transporte coletivo de Goiânia. Veja o que pode fechar

Dia nacional de mobilização contra as reformas de Temer paralisou diversos serviços nesta quarta-feira (15) em ao menos 25 capitais do País

Em todo o País, trabalhadores de diversas categorias paralisam o serviço nesta quarta-feira (15/3) contra as reformas da Previdência e trabalhista propostas pelo governo do presidente Michel Temer (PMDB). A greve geral envolve categorias dos setores de transportes, educação, bancários, estudantes, entre outros.

Em consonância com o restante do Brasil, Goiânia tem atos marcados para as 9 horas em frente à sede da Assembleia Legislativa de Goiás e na Praça dos Bandeirantes.

Segundo a Central Única dos Trabalhadores (CUT), está prevista a paralisação dos professores e trabalhadores da educação estadual e federal, além de outras categorias de servidores municipais.

Ainda assim, apesar do anúncio de paralisação, a quarta-feira começou de forma rotineira para boa parte dos goianienses. Segundo informações da Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC), o sistema não foi prejudicado e nenhuma linha de ônibus deixou de rodar nesta manhã.

O Sindicato dos Bancários de Goiás confirmou ao Jornal Opção que realizou convocatória para o dia nacional de mobilização, mas não sabe precisar se a categoria irá aderir à paralisação.

Já a Secretaria Municipal de Educação (SME) afirmou que apenas no final do dia enviará comunicado informando sobre a adesão de professores e servidores administrativos ao ato nacional.

Deixe um comentário