ANTT apresenta propostas de subsídios para o trem Goiânia-Brasília

Objetivo é realizar a licitação da obra ainda este ano. Construção da ferrovia vai ser uma parceria entre o governo de Goiás, do Distrito Federal e o governo federal

Presidente da ANTT, Jorge Bastos apresenta documento de propostas de subsídios ao projeto ao governador de Goiás, Marconi Perillo | Foto: Divulgação / Facebook

O presidente da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Bastos, apresentou ao governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) propostas de contribuições em consonância com os resultados apresentados no Estudo de Viabilidade Técnica Econômica e Ambiental (EVTEA), do trem de passageiros no corredor Brasília/Anápolis/Goiânia, realizado pelo consórcio formado pelas empresas EGIS, LOGIT, JGP e Machado Meyer.

A reunião da última quarta-feira (15/2), na sede da ANTT em Brasília, foi considerada pelo governador como “o melhor dos encontros sobre o trem Goiânia/Brasília”, pelo avanço em direção à concretização da obra.

O governador considera que desde quando começou a ser estudado, o projeto recebido hoje foi bastante aprimorado. A ANTT apresentou um cronograma de desembolso por parte dos estados e da União. O início desses desembolsos, segundo o governador, se daria após três anos do início da obra. Começa em R$ 6 milhões e aumenta gradativamente.

Segundo o diretor Jorge Bastos, o estudo foi concluído há dez dias. “Apresentamos ao governador as propostas que vieram. Agora o processo vai caminhar mais rápido. Esperamos que a licitação se dê ainda este ano”, comentou.

O desembolso total do poder público, de acordo com a Tomada de Subsídios, não ultrapassará R$ 2,9 bilhões, valor que será dividido entre o Estado de Goiás, o governo do Distrito Federal e a União. Os demais investimentos necessários serão feitos pela empresa que vencer a licitação para realizar o projeto executivo e a obra.

O governador nomeou Bernardo Figueiredo, que foi presidente da ANTT e da EBE – Empresa Brasileira de Logística -, como um dos principais executivos responsáveis pelo acompanhado de todo o processo.

Ainda segundo ele, se tudo correr dentro da normalidade, a ferrovia deverá ser inaugurada no máximo em três anos. “Se a licitação for resolvida ainda este ano, com certeza em três anos é possível a realização da obra. Estamos otimistas, hoje mais ainda com a conquista desta tomada de subsídios”, concluiu.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.