Antes de tragédia, jogadores da Chapecoense registraram viagem à Colômbia nas redes sociais

Fotos e vídeos mostram delegação momentos antes de embarcar para Medellín, onde time de Santa Catarina enfrentaria o Atlético Nacional pela final da Sul-Americana

Última foto da delegação da Chapecoense antes de embarcar para Colômbia | Foto: Reprodução

Última foto da delegação da Chapecoense antes de embarcar para Colômbia | Foto: Reprodução

Antes do acidente aéreo que matou 75 pessoas e feriu outras seis, os jogadores, comissão técnica e jornalistas que acompanhavam o time da Chapecoense postaram nas redes sociais, registros da viagem que simbolizava uma conquista inédita para o time do interior de Santa Catarina.

Os destroços da aeronave foram encontrados na manhã desta terça-feira (29/11) entre as cidades de La Ceja e Unión, a cerca de 30 km de Medellín, destino final da delegação, que enfrentaria na próxima quarta-feira (30/11), o primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional de Medellín.

Alan Ruschel psotou foto nas redes sociais com o goleiro Danillo momentos antes de embarcarem para a Colômbia. Os dois atletas estão entre os sobreviventes | Foto: Reprodução

Alan Ruschel psotou foto nas redes sociais com o goleiro Danillo momentos antes de embarcarem para a Colômbia. | Foto: Reprodução

Alan Ruschel postou uma foto ao lado do goleiro Danilo Padillha momentos antes de decolarem. Alan é um dos sobreviventes do acidente. Danilo chegou a ser socorrido com vida, mas morreu no hospital.

Segundo comunicado das autoridades locais, sete pessoas foram resgatadas com vida. O jogador Alan Ruschel foi encaminhado para o hospital de La Ceja, e os jogadores Jackson Ragnar Follmann e Danilo Padilha para a Fundação São Vicente. Também foi encaminhado ao hospital o zagueiro Neto. O jornalista Rafael Hensel também foi para o hospital de La Ceja. Já os tripulantes Ximena Suárez e Erwin Tumiri foram atendidos na clínica Somer, na cidade de Rionegro.

A tragédia é considerada a pior da história do futebol brasileiro e a com maior número de vítimas de todo o mundo. “Felizmente, o avião não explodiu, nem se incendiou, o que permitiu que hoje algumas pessoas fossem encontradas com vida”, disse o diretor da Unidade Nacional de Gestão de Risco da Colômbia, Carlos Iván Márquez.

O avião teria sumido dos radares na noite de ontem, por volta das 00h30, madrugada desta terça-feira no Brasil. A aeronave foi a mesma usada pela seleção Argentina para viajar ao Brasil para as eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

De acordo com sites especializados, a aeronave tem 17 anos de uso, capacidade para 95 pessoas e é a única da companhia aérea Lamia, da Bolívia. O avião é o Avro Regional Jet 85, também conhecido como Jumbolino, de matrícula CP-2933, fabricado pela British Aerospace.

Antes de sair do aeroporto de Guarulhos, o zagueiro Filipe Machado também gravou um vídeo no Instagram, falando sobre o início da viagem para a Colômbia.

O jornalista da rádio Rafael Henzel, jornalista da rádio Oeste Capital, da cidade de Chapecó, entrevistou o zagueiro Neto antes de saírem do aeroporto de Guarulhos, ainda na segunda-feira (28/11). Na entrevista, o jogador fala sobre a lesão que quase o deixou de fora do jogo e pediu a oração dos torcedores para que tudo ocorresse bem na viagem. Tanto Neto, quanto o jornalista Rafael, estão entre os sobreviventes.

A tragédia envolvendo a delegação da Chapecoense ocorre justamente no momento em que o clube catarinense buscava consolidação entre os grandes times de futebol do país.

O Verdão do Oeste, como é conhecido entre os torcedores, disputa a primeira divisão do Campeonato Brasileiro pela terceira temporada consecutiva e já garantiu vaga antecipada para disputar a Copa Sul-Americana de 2017.

Fundado em 10 de maio de 1973, a Associação Chapecoense de Futebol passou a maior parte da história destacando-se em nível regional: até o fim dos anos 90, as principais conquistas do clube foram os títulos do Campeonato Catarinense de 1977 e 1996 e da Taça Santa Catarina de 1979.

Até o acidente da última madrugada, o ano de 2016 era considerado um dos melhores para a Chape. No Campeonato Brasileiro, o clube faz a melhor campanha de sua história, ocupando a 9ª posição na tabela a uma rodada do fim da competição. Em nível internacional, o clube conquistou o direito de disputar a final da Copa Sul-Americana após superar equipes de tradição em competições continentais, como os argentinos Independiente e San Lorenzo, chegando à final de uma competição internacional, fato inédito na história do clube.

A partida, que estava marcada para a próxima quarta-feira (30/11) à noite, foi adiada pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). A nova data ainda não foi divulgada. (Com informações Agência Brasil)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.