Antes de buscar base do presidente, Mendanha debochava de Bolsonaro, alega Vitor Hugo

Para o deputado federal, além de não representar a direita conservadora, Mendanha pode representar a volta da esquerda ao poder em Goiás

Antes de buscar base do presidente, Mendanha debochava de Bolsonaro, alega Vitor Hugo | Foto: Reprodução

Não é de hoje que o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil) e o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, que devem disputar o governo de Goiás em 2022, são alvos de críticas do atual deputado federal Vitor Hugo. Isso, porque Vitor Hugo também busca disputar o pleito, se intitulando o candidato do presidente Jair Bolsonaro (PL) e da direita em Goiás.

Ao se consolidar como o representante bolsonarista do estado, ele explica motivos pelos quais o atual prefeito de Aparecida não se encaixaria nesse perfil, revelando que Mendanha teria debochado do presidente antes de se interessar em se aproximar em prol de uma possível aliança. Ao Jornal Opção, o deputado federal foi claro ao afirmar que não acredita que “Mendanha represente essa direita conservadora” defendida por Vitor Hugo.

“Como prefeito, Gustavo coligou com o PT, PCdoB, PSB, PDT e PV, e também na primeira eleição dele. Isso pra mim é fica claro que ou ele não sabe, ou ele sabendo, ignora tudo de ruim que a esquerda fez ao país e poderia fazer caso voltasse ao poder”, justifica, ao pontuar sobre possível aliança de Gustavo com Mendanha. Isso, porque o que se dizia nos bastidores, é que ao e afastar de Bolsonaro e de Sergio Moro, o prefeito de Aparecida de Goiânia teria aberto conversações com o PT de Wolmir Amado, Rubens Otoni, Antônio Gomide, Adriana Accorsi e Kátia Maria, além de ter sido cotado para se filiar ao PSB.

A relação de Mendanha com Bolsonaro em momentos anteriores também foi um fator mencionado por Vitor Hugo como um motivo pelo qual o prefeito de Aparecida “não pode ser o escolhido como o representante do Bolsonarismo e da esquerda conservadora em Goiás”. Ele alega que, por diversas vezes, Gustavo teria “debochado e desdenhado” do presidente da República. Vitor Hugo, inclusive, relembrou o encontro que intermediou entre 20 prefeitos goianos – incluindo o de Aparecida – e Bolsonaro, em Brasília, como um exemplo de “falta de empatia” de Mendanha para com Jair Bolsonaro.

“Tem entrevistas dele [Gustavo] desdenhando, debochando do presidente. Do apresentador fazendo críticas e comentários opostos e ele ali rindo. Ele ainda falou que não tinha paixão pelo presidente. Quando eu levei ele e outros dezenove prefeitos para encontrar o presidente, percebi uma total falta de empatia, ele não tirou foto direito, não interagiu, não gravou vídeo, não mandou nenhum ofício pedindo algo para Aparecida de Goiânia. Ele realmente não tem nenhuma predileção pelo presidente”, opinou o deputado.

Vitor Hugo ainda avaliou que a postura neutra de Gustavo, de tentar não se manter nem do lado do ex-presidente Lula, nem de Bolsonaro, “fez com que ele se desgastasse de ambos os lados”. Para o deputado, tanto essa postura neutra com tendência de aproximação à esquerda, quanto o desempenho de Mendanha nas pesquisas teria acarretado, por exemplo, em um afastamento de Madga Mofatto do prefeito de Aparecida.

É preciso lembrar que, anteriormente, Magda não escondia seu apoio à filiação de Gustavo ao PL. “Ela tinha uma expectativa de que Gustavo se saísse melhor nas pesquisas, e aí Marconi ficou na frente, e ela fez um gesto na direção do Marconi, representando um esfriamento no apoio ao Mendanha”, avaliou o parlamentar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.