Anselmo rebate Jeovalter e culpa prefeitura por atraso na reforma administrativa

Presidente comentou redução de 25% na economia prevista com o projeto, anunciada pelo secretário de Finanças. Relatório será votado nesta quarta-feira, na CCJ

Anselmo se encontrou com relatora do projeto e representantes da prefeitura após sessão desta terça-feira | Foto: Alberto Maia/Câmara de Goiânia

Anselmo se encontrou com relatora do projeto e representantes da prefeitura, após sessão desta terça-feira | Foto: Alberto Maia/Câmara de Goiânia

O presidente da Câmara de Vereadores de Goiânia, Anselmo Pereira (PSDB), avaliou nesta terça-feira (19/5) a redução de 25% na previsão de economia com o projeto de reforma-político administrativa do Paço Municipal, além da demora da tramitação da proposta na Casa.

O tucano entende que a proposta não irá atingir o que foi aspirado pela prefeitura. “Deverá cair uns 20% devido a alguns reajustes e acomodações de algumas reivindicações das diversas categorias, mas, no grosso, eu penso que aquilo que ele planejou deve atingir 60%.”

Sobre a argumentação de que a culpa pela redução de economia seria pelo atraso da tramitação do projeto na Câmara, Anselmo respondeu ao Jornal Opção Online: “Olha, o Jeovalter é meu amigo, meu irmão, ele não pode e não deve transferir responsabilidades para a Câmara. Afinal de contas, cabe a ele responder porque mandou dois substitutivos do primeiro projeto.”

Futuros prefeitos

Anselmo Pereira observou ainda que os maiores beneficiados com a aprovação da reforma serão os futuros prefeitos de Goiânia. “Porque vai fazer com que realmente haja enxugamento daquilo que se propõe em termos de serviço público de qualidade. As pessoas, ao meu entender, daqui para frente vão estar atentas não mais aos penduricalhos e aos favorecimentos, mas sim serem incentivados pelas suas produtividades. Este é o segredo da atividade pública”, pontuou o dirigente.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.