Ânimos acirrados marcam segundo debate televisionado entre candidatos a prefeito

Ataques tiveram como principais alvos os líderes das pesquisas, Iris, que desistiu do embate de última hora, e Vanderlan, que contornou críticas com discurso propositivo

Candidatos durante debate | Foto: Divulgação

Candidatos durante debate | Foto: Divulgação

Diferente do primeiro debate televisionado entre os candidatos a prefeito da capital, realizado na TV Goiânia, morno e que se resumiu a apresentação de propostas, o embate deste domingo (25/9), na Record Goiás, contou com perguntas mais ácidas e um clima bem menos amistoso entre os prefeitáveis.

As críticas e ataques tiveram como principais alvos os líderes das pesquisas de intenção de voto, Iris Rezende (PMDB) e Vanderlan Cardoso (PSB). O decano peemedebista, que havia confirmado presença, desistiu do embate de última hora. O candidato pessebista, por sua vez, soube contornar os ataques e respondeu com serenidade as perguntas com um discurso propositivo.

O programa foi dividido em duas partes. Nos três primeiros blocos as perguntas foram feitas entre os candidatos, com temas livres, e o quarto e último bloco destinado a perguntas da produção para cada um dos prefeitáveis.

O debate foi iniciado com a fala do candidato do PSOL, Flávio Sofiati, que insistiu na pergunta sobre o apoio do governador Marconi Perillo (PSDB) ao candidato do PSB, Vanderlan Cardoso. “Recebi o apoio do Marconi e de partidos da base, mas a administração vai ser nossa. Tenho meu modo de administrar. Cada um tem a sua maneira de administrar”, rebateu o pessebista.

Vanderlan também foi questionado sobre sua administração à frente de Senador Canedo e retrucou críticas do candidato do PR, Delegado Waldir, que acusou o pessebista de ter retirado a concessão da Saneago quando foi prefeito de Senador Canedo, por suposta ineficiência. No entanto, o candidato do PSB lembrou ao delegado que a gestão de água e saneamento da cidade sempre foi do município, e que a Saneago nunca esteve no município.

“O senhor está mal informado. Fizemos um amplo trabalho de ampliar o acesso da água à população. Além disso, deixamos a estação de tratamento de esgoto praticamente pronta e agora está sendo finalizada”, respondeu.

Em outro momento do debate, o pessebista voltou a ser indagado sobre a cidade que governou por dois mandatos, quando destacou os avanços obtidos durante sua administração, sobretudo na área de Segurança Pública. “Investimos na segurança primária para combater a criminalidade que existia por lá. Ela chegou a ser conhecida como ‘Senador Faz Medo’”, lembrou.

Clima tenso

Ainda no primeiro bloco, a delegada Adriana Accorsi (PT) perguntou ao colega de profissão, Delegado Waldir, sobre suas propostas na área social com foco na Segurança Pública. Waldir se limitou a críticas à gestão estadual e se esquivou do questionamento da petista.

Quem também questionou o delegado de forma contundente foi o candidato da Rede, Djalma Araújo. O vereador perguntou ao deputado federal quais teriam sido os projetos em Segurança Pública aprovados por ele durante sua gestão na Câmara Federal. “O senhor que fala tanto em segurança não trouxe um tostão ou uma lei para Goiás”, criticou. Waldir rebateu as críticas e disse que foi um dos parlamentares que mais destinou emendas ao Estado.

Desta vez, Adriana Accorsi, candidata do PT, não se intimidou com as críticas pelo apoio do Paço à sua candidatura e fez elogios mais diretos à gestão do prefeito Paulo Garcia (PT), destacando as obras da atual gestão na área de mobilidade urbana e habitação. A petista disse que irá continuar com as políticas para os setores e deu como exemplos as ciclovias, ciclofaixas e faixas exclusivas implantadas pela administração na capital. “Pretendo levar as ciclovias para toda a cidade”, prometeu.

O debate da Record Goiás também foi marcado por críticas duras à já costumeira ausência do candidato do PMDB, Iris Rezende. Djalma Araújo, Adriana Accorsi, Flávio Sofiati e Delegado Waldir não deixaram passar em branco a oitava falta do ex-prefeito em debates na capital e lamentaram a omissão do primeiro colocado nas pesquisas. “É uma covardia com os eleitores”, reforçou o prefeitável do PR.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.