Animais vítimas de maus-tratos em canil de Abadiânia são encaminhados para clínicas e abrigos

Descaso com animais foi denunciado nas redes sociais e constatado pelas Polícias Civil e Militar. Governador classificou caso como “revoltante”

Animais são resgatados em Abadiânia após denúncias de maus-tratos / Foto: Divulgação/Secom

Na manhã desta segunda-feira, 27, a Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) resgatou cerca de 45 cães e 24 gatos em um canil em Abadiânia, após denúncias de maus-tratos nas redes sociais. Policiais civis e militares estiveram no local para constatar as más condições dos animais.

“Todos foram apreendidos. Aqueles com situação menos debilitada vão para acolhimento mediante termo de fiel depositário e, os com a saúde mais frágil, serão encaminhados diretamente para clínicas veterinárias parceiras para cuidados especiais”, informou Brunno Alves de Oliveira Brito, gerente de Autorizações e Acompanhamento para Fauna da Semad.

O governador do Estado de Goiás, Ronaldo Caiado, se pronunciou sobre o caso e chamou a situação de “revoltante”. “Em Goiás, não há mais espaço para maus-tratos aos animais. Recebi com muita indignação a denúncia sobre um canil abandonado em Abadiânia, com cerca de 45 cães e 24 gatos. A maioria deles está doente, sem comida e agonizando, uma situação revoltante”, disse o governador, que prometeu punição para os donos.

Crime Ambiental

De acordo com a Semad, os donos dos animais serão enquadrados por maus tratos e terão de pagar uma multa de R$207 mil. As dezenas de cães e gatos viviam em condições precárias de higiene, com a saúde bastante comprometida, em espaços reduzidos e com pouca alimentação disponível. Eles serão encaminhados para clinicas e abrigos parceiros para acolhimento e recuperação. O governo pede para que organizações não-governamentais, ativistas e sociedade em geral montem uma rede de solidariedade para ajudarem no caso.

Maus-tratos aos animais é crime no Brasil, de acordo com o artigo 34, da Lei de Crimes Ambientais (praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos) e no artigo 29 do decreto regulamentador da legislação, cuja multa foi calculada pela equipe presente em R$ 207 mil, com possibilidade de agravantes caso a saúde dos animais piore.

“É essencial que a população denuncie qualquer pessoa ou local que mantenha animais sob essas condições. Maltratar é crime e deve ser punido de forma exemplar”, pronunciou a secretária da Semad, Andréia Vulcanis.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.