Andrey Azeredo diz que pagou por 4 mil cavaletes, mas não verificou quantidade

Presidente da Câmara Municipal de Goiânia foi ouvido pela CEI da SMT e negou qualquer irregularidade durante sua gestão à frente da pasta

Andrey Azeredo durante depoimento à CEI da SMT | Foto: Lucas Botelho

Rafaela Bernardes

O presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Andrey Azeredo (PMDB), foi ouvido na Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga o rombo na Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT) promovido nas gestões PT-PMDB na capital.

No depoimento, o vereador garantiu que não houve qualquer irregularidade durante sua gestão à frente da pasta, entre junho de 2015 e março de 2016.

Ao ser questionado sobre as suspeitas de desvios na compra de 7.150 cavaletes da empresa JBA Comercial Ltda, ele confirmou que liberou o pagamento de 4 mil unidades, mas que estes teriam sido adquiridos antes de sua posse. “O processo de compra tem três fases: o empenhamento/contratação, a entrega e o pagamento. Como secretário não tinha outra opção a não ser pagar pela nota dos 4 mil cavaletes”, relatou.

Apesar de ter efetuado o pagamento, o ex-secretário reconheceu que não conferiu a quantidade paga e disse que não sabia que tal número era “fora do normal”. “Os cavaletes não são um bem durável, são danificados pela população e é normal a reposição constante”, completou.

Enquanto esteve à frente da SMT, Andrey Azeredo afirmou que comprou 2.650 cavaletes. Além do presidente da Casa, foram ouvidos os ex-titulares da pasta Miguel Tiago e Fradique Machado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.