Andrey Azeredo critica demora da Procuradoria para analisar Plano Diretor. Relatora rebate

“Se a Procuradoria não foi acionada, então não houve falha”, argumenta Dra. Cristina que já solicitou parecer técnico 

Andrey Azeredo | Foto: Fernando Leite

A Câmara Municipal de Goiânia protagonizou, na manhã desta quarta-feira, 4, uma polêmica envolvendo o andamento da revisão do Plano Diretor na Casa de Leis. Acontece que a vereadora Dra. Cristina (PSDB) — relatora do projeto — informou que pedirá o parecer técnico da Procuradoria da Câmara sobre o extenso documento enviado pelo Paço — são oito eixos, 15 volumes e 1963 páginas. Após tomar conhecimento de que este pedido só será feito agora — em setembro — o vereador Andrey Azeredo (MDB) revelou sua indignação.

“Tenho cobrado, desde o anúncio desse projeto, responsabilidade, profundidade, celeridade e transparência”, destacou Azeredo que disse ter ficado “pasmo” e “espantado” ao saber que depois de dois meses na Casa o processo ainda não foi analisado pela Procuradoria. “Ficamos de recesso apenas das sessões plenárias, o restante da Casa funcionou normalmente apenas com reajustes dos horários”, lamentou o parlamentar.  Para ele, a Procuradoria da Casa avaliaria tudo durante o período do recesso e, assim que os vereadores retornassem às atividades, esse serviço já estaria pronto. 

Ao Jornal Opção a relatora explicou que após tramitar em todas as etapas necessárias, o projeto chega a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e posteriormente é que deve ser remetido à análise da Procuradoria. “Já falei com o presidente da Casa e com o procurador geral para que as equipes trabalhem em uma análise conjunta. O projeto precisa ser oficialmente encaminhado a Procuradoria para que ela trabalhe. Eles não podem pular esta etapa e simplesmente pegar o documento para analisar. Este é o momento em que ele (o projeto) deve ser encaminhado. Se a Procuradoria não foi acionada, então não houve falha”, rebateu Cristina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.