Andrade Gutierrez confessa suborno em obras da Copa e da Petrobras

Segunda maior empreiteira do País fechou acordo de delação e leniência com Procuradoria Geral da República. Além disso, irá pagar R$ 1 bilhão em multa

Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, foi uma das obras da Copa em que a Andrade Gutierrez esteve envolvida | Foto: Cristine Rochol

Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, foi uma das obras da Copa em que a Andrade Gutierrez esteve envolvida | Foto: Cristine Rochol

A empreiteira Andrade Gutierrez, uma das envolvidas na Operação Lava Jato, fechou acordo de delação e leniência com a Procuradoria Geral da República (PGR) que deve resultar em uma série de confissões. A empresa irá relatar que pagou propina em obras brasileiras da Copa do Mundo, da Petrobras, da usina nuclear Angra 3, da Belo Monte e da Ferrovia Norte-Sul.

Só na Copa do Mundo, a empresa esteve envolvida na construção da Arena Amazonas, em Manaus (AM), e nas reformas do Beira-Rio, em Porto Alegre (RS), Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) e no Mané Garrinha, em Brasília (DF).

Segunda maior empreiteira do País, a Andrade Gutierrez pagou, até o momento, a maior multa da Lava Jato, de cerca de R$ 1 bilhão, e a maior indenização, de R$ 800 milhões. A empresa é acusada de, juntamente da Odebrecht, de ter pago R$ 632 milhões em suborno para conseguir contratos com a Petrobras. O dinheiro era destinado a comprar o silêncio de agentes públicos no que diz respeito aos acordos feitos pelas empresas para realizar as obras que queriam, baseados na experiência na área, valores contratuais e porte da obra.

A delação premiada pode livrar a empresa de ser proibida de celebrar contratos com o poder público. Um possível impedimento neste sentido seria altamente prejudicial para a empreiteira que, assim como outras companhias da área, depende fortemente das obras estatais para sobreviver. (Com informações da Folha de S. Paulo)

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.