Análise de 29 macacos mortos em Goiás não tem previsão para ficar pronta

Dos casos de animais encontrados sem vida registrados no Estado, nove são de Goiânia

A Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES-GO) aguarda resultado da análise de 29 macacos mortos no estado no mês de janeiro para saber se eles estavam contaminados com a febre amarela.

A maioria dos animais já teve material recolhido, mas conforme informou a pasta ao Jornal Opção nesta quinta-feira (25/1), não há previsão para a entrega do resultado. A coleta de material para análise, neses casos, é um procedimento padrão adotado pela pasta para identificar possíveis focos da doença.

Dos 29 macacos encontrados mortos, ao menos nove foram registrados em Goiânia. Córrego do Ouro, Palmeiras de Goiás, Varjão, Santo Antônio do Descoberto, Valparaíso, Pirenópolis, Morrinhos, Itapuranga, Cristianópolis, Piracanjuba, Goianésia, Anicuns, Jaraguá, Novo Gama, Qurinópolis, Senador Canedo e Leopoldo de Bulhões também tiveram registros.

A febre amarela tem causado pânico em moradores de São Paulo e Minas Gerais. A doença já causou pelo menos 21 mortes em SP e 10 em MG, somente em 2018. Apesar de ser considerada área endêmica pelo Ministério da Saúde, o Estado de Goiás não registrou nenhum caso de febre amarela neste ano e apenas um caso foi confirmado em 2017.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-GO) esclarece que promove periodicamente medidas para evitar surtos da doença. O monitoramento constante faz a notificação de casos ser ágil, com investigação de todos os casos suspeitos. Além disso, são ofertadas vacinas para viajantes e intensificada a vacinação em municípios com baixas coberturas.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.