Ana Carla: “Números de Goiás são transparentes e não houve pedaladas fiscais”

Secretária da Fazenda afirma que “balanço fiscal do Estado não foi maquiado e que, portanto, não houve crime fiscal”

Secretária Ana Carla Abrão em entrevista ao Jornal Opção | Foto: Renan Accioly / Jornal Opção

Secretária Ana Carla Abrão em entrevista ao Jornal Opção | Foto: Renan Accioly / Jornal Opção

O balanço fiscal do Estado de Goiás referente a 2015 é transparente, evidencia detalhadamente valores relativos ao chamado restos a pagar e aponta o desequilíbrio financeiro e fiscal pelo qual passou o Estado no ano passado em decorrência da crise econômica que assola o país. Foi o que explicou a secretária estadual da Fazenda, Ana Carla Abrão, em entrevista a uma rádio, na manhã desta quinta-feira (28/4).

Na ocasião, ela esclareceu que, por apresentar balanço transparente, o governo de Goiás não cometeu crime fiscal ou pedaladas fiscais, termo que se tornou mais usual após a investigação por que passa o governo federal em virtude da infringência à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

“A maior prova de que o Governo de Goiás não cometeu pedaladas fiscais é que está inscrito no balanço fiscal o valor dos restos a pagar. Não houve nenhuma maquiagem no balanço. Os números estão lá de forma transparente, os resultados fiscais. Eles expõem a realidade de que no ano passado faltou recursos no caixa para honrar todas as despesas. Existe pedaladas fiscais quando há fraude fiscal, quando se maquia o balanço. E é por isso que a presidente Dilma está sendo investigada, porque houve fraude fiscal em seu governo. Em Goiás não houve isso. Está lá de forma transparente todo o desequilíbrio financeiro e fiscal que nós vivemos em 2015”, declarou.

A secretária esclareceu, ainda que parte dos restos a pagar de 2015 já foi executada no primeiro trimestre deste ano, que a folha do Estado está estabilizada desde setembro do ano passado e que a estimativa é de que 2016 se encerre com equilíbrio fiscal. “Goiás passou um ano de 2015 muito difícil, e eu usei o termo ‘estresse financeiro’ porque faltou dinheiro no caixa para honrar todas as obrigações do Estado no ano de 2015″, disse a secretária, que ressaltou que os restos a pagar estão sendo honrados.

“Nossos restos a pagar já vem sendo honrados. Estamos trabalhando para chegarmos a dezembro sem restos a pagar”, disse a secretária da Fazenda. “A folha está estabilizada desde setembro do ano passado. O que temos administrado agora é para onde ela crescer, temos que diminuir do outro lado. Mas temos uma boa perspectiva de equilíbrio financeiro em 2016”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.