Ampliar seguro-desemprego não pode ser feito “de afogadilho”, diz Mourão

O custo de cada parcela adicional está estimado em R$ 8,35 bilhões

Antonio Hamilton Mourao-foto-Pedro Ribas-ANPr-Divulgação | Pedro Ribas/ANPr/Divulgação

vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) afirmou, nesta sexta-feira, 25, que a ampliação do seguro-desemprego em mais duas parcelas deve levar em conta a capacidade fiscal e não pode ser feita “de afogadilho”. A proposta foi apresentada por centrais e está sendo analisada pelo governo.

A equipe econômica do governo pediu 15 dias para apresentar um novo projeto, alternativo ao encaminhado por trabalhadores do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), responsável por operar políticas como abono salarial e seguro-desemprego. O custo de cada parcela adicional está estimado em R$ 8,35 bilhões.

“Tem que olhar dentro da nossa capacidade fiscal, né? Não pode ser coisa de afogadilho. Todos vocês sabem que nós vivemos uma crise fiscal séria. Não podemos aumentar a dívida de forma desmesurada, então tem que buscar qual é a melhor solução para que isso seja pago”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.