Servidores do Estado pedem piso nacional dos professores e data-base dos funcionários administrativos

Seduc afirma que processo com essa finalidade está em trâmite, desde esta quinta, 25, na Secretaria de Economia

Foto: Pedro Ribas

A Associação Mobilização dos Professores de Goiás (AMPG) reclamou, em nota, que o governo ainda não falou à categoria se vai pagar o piso nacional dos professores e a data-base dos funcionários administrativos.

Conforme a nota, “as informações que temos é que esse ano não teremos esses aumentos”. Para AMPG, “a desculpa da falta de verba não pode ser aceita para justificar o não pagamento do Piso para os professores, pois existe o Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) para isso”.

Em 1º de janeiro, o piso salarial do magistério teve reajuste de 4,17% e chegou a R$ 2.557,74. Este é o salário inicial dos trabalhadores do magistério público da educação básica, com formação de nível médio, modalidade normal e jornada de trabalho de 40h por semana.

Resposta

A Secretaria de Estado da Educação de Goiás (Seduc) informou por nota que, a respeito de reajuste de salários de professores e de técnico-administrativos da pasta, encaminhou ao Governo do Estado solicitação de encaminhamento de Mensagem de Lei Ordinária específica à Assembleia Legislativa do Estado de Goiás para a adequação dos vencimentos dos docentes em conformidade com o Piso Nacional e dos servidores administrativos utilizando o índice do Dieese.

“A Seduc informa, ainda, que processo com essa finalidade está em trâmite desde esta quinta-feira, 25/07/2019, na Secretaria de Estado da Economia para providências na forma da lei”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.