Amigo de estudante picado por Naja é preso suspeito de obstrução de provas

Gabriel Ribeiro é suspeito de ter ocultado serpentes que pertenciam ao estudante de medicina veterinária picado pela cobra da espécie Naja Kaouthia

Foto: Rafaela Felicciano | Metrópoles.

Nesta quarta-feira, 22, policiais civis da 14ª DP (Gama) cumpriram mandado de prisão temporária para o estudante de medicina veterinária Gabriel Ribeiro, suspeito de corroborar com esquema criminoso de práticas de crimes ambientais. A ação faz parte da terceira fase da Operação Snake.

Gabriel é amigo de Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkul, 22 anos, que foi picado por uma cobra da espécie Naja e chegou a ficar em coma no hospital.

O mandado de prisão foi expedido após indícios de que Gabriel Ribeiro estaria tentando, desde o início da investigação, obstruir as diligências realizadas pela Polícia Civil do Distrito Federal. O estudante também é suspeito de ter ocultado as serpentes que pertenciam ao jovem picado pela cobra da espécie Naja Kaouthia.

Policiais cumpriram, segunda fase da operação, quatro mandados, no Guará, Gama e Riacho Fundo, com apoio da Divisão de Operações Especiais (DOE) da PCDF e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Foram apreendidos diversos documentos, celulares, medicamentos de uso veterinário, além de uma serpente conhecida como Corn Snake (Cobra do milho) e itens usados na criação ilegal de animais silvestres e exóticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.