Alunos se vestem como membros da Ku Klux Klan para evento escolar e causam revolta

Além das “fantasias”, fotos mostram estudante fazendo saudação nazista. Em nota, colégio diz que episódio foi “equívoco” e não informa sobre providências

Poucos dias depois de alunos de um colégio de Novo Hamburgo (RS) causarem revolta nas redes sociais ao ironizarem profissionais como pedreiros, vendedores e garis como profissões de quem “não deu certo na vida”, estudantes de uma escola particular de Salvador também foram motivo de polêmica nesta semana. Isso porque eles resolveram se fantasiar como membros da seita racista americana Ku Klux Klan.

Fotos postadas nas redes sociais mostram vários alunos do terceiro ano do Ensino Médio com as roupas e o gorro branco tradicionalmente usados pelo grupo, além de segurarem cruzes. O episódio ocorreu durante o chamado “Dia do Mico”, em que os estudantes são autorizados a irem fantasiados para a escola.

Além dos alunos com roupas da Ku Klux Klan, outra imagem mostra um garoto fazendo uma saudação nazista. Em nota, a escola disse que “jovens podem se equivocar” e não informou se vai tomar alguma medida como suspensão e expulsão contra os alunos. O Jornal Opção entrou em contato com a instituição e eles se recusaram a comentar se outras providências serão tomadas, mesmo que a informação não conste no comunicado.

“Vale ressaltar que o Colégio Anchieta não comunga com as referidas encenações independentemente da intenção delas. Logo, não queremos minimizar os fatos”, diz a nota. “Como educadores estamos mobilizados e refletindo […], inclusive, trabalhando com os alunos […] no reconhecimento de que [as atitudes] não são condizentes com os princípios e objetivos de humanização da Educação Anchieta, que se fundamenta no tratamento a todos em condição de igualdade, sem discriminação de classe, raça, gênero e religião.”

Confira a nota da instituição:

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.