Alunos da rede estadual alcançam melhor desempenho em avaliação desde 2011

Sistema de Avaliação Educacional do Estado de Goiás avalia a proficiência de estudantes em Português e Matemática

Na manhã desta sexta-feira (19/1), a secretária de Educação, Cultura e Esporte, Raquel Teixeira, apresentou os resultados do Sistema de Avaliação Educacional do Estado de Goiás (Saego) 2017. O exame apontou os melhores índices de proficiência em Português e Matemática da história, com grandes avanços em todas as séries.

O Saego 2017 também apresentou o maior percentual de participação de estudantes das escolas públicas estaduais, superior a 90%, graças a uma mobilização de professores, pais e alunos.

Outra característica foi a homogeneidade entre as 40 regionais, onde a diferença entre a maior e menor proficiência, mesmo com disparidades geográficas e socioeconômicas, ficou entre 15,2% nas séries iniciais e 9,9% nas finais. Isso evidencia que, além da busca da excelência, a rede estadual avança na equidade.

No 2º ano do Ensino Fundamental, que atende alunos com idade entre sete e oito anos, a nota de proficiência em leitura, escrita e interpretação saltou de 545, em 2016, para 548 em 2017. No 5º ano, no mesmo período, Goiás subiu três pontos em Língua Portuguesa e 14 pontos em Matemática, o que superou as expectativas, considerando a disciplina como um dos grandes gargalos da educação brasileira.

No 9º ano do Ensino Fundamental, houve um avanço de dois pontos em Matemática. E, por fim, também de 2016 para 2017, a 3ª série do Ensino Médio subiu dois pontos em Língua Portuguesa e sete pontos em Matemática. “Pode parecer pouco, mas cada degrau que a gente sobe é fruto de muito esforço”, reforçou Raquel durante a apresentação dos índices.

A secretária atribui os resultados a uma série de ações, entre elas, a produção e entrega do caderno de Atividades Aprender +, que foi distribuído em 2017 para os alunos do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e da 3º série do Ensino Médio. O material auxiliou e complementou as atividades dentro de sala de aula e, devido ao sucesso e aceitação, o Aprender + será entregue, em 2018, para todos os alunos a partir do 5º ano.

Além do material estruturado, outra ferramenta que auxiliou nos índices foi a Avaliação Dirigida Amostral (ADA). “A ADA é um sistema de avaliação interno e bimestral. Nós avaliamos o desempenho dos alunos e a equipe pedagógica elabora atividades de apoio e reforço para as falhas detectadas. Isso impede que as lacunas de aprendizagem impeçam o aluno de aprender coisa nova”, ressaltou a secretária.

A titular da pasta explicou que o Saego avalia a proficiência anualmente, diferente do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que leva em consideração o fluxo escolar, a evasão e a frequência e faz a avaliação a cada dois anos. As notas do Ideb de 2016 de todos os estados brasileiros devem ser divulgadas em junho.

O Sistema de Avaliação Educacional do Estado de Goiás foi criado em 2011 e é aplicado anualmente para avaliar a proficiência dos estudantes no 2º ano do Ensino Fundamental em Língua Portuguesa (leitura), e nos 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e na 3ª série do Ensino Médio, em Língua Portuguesa e Matemática.

O Saego é ima importante ferramenta de monitoramento das ações pedagógicas nas escolas, reunindo subsídios para intervenções e ajustes necessários, com foco na melhoria da qualidade da educação.

O sistema de avaliação de Goiás, desenvolvido pelo Caed, da Universidade Federal de Juiz de Fora, é modelo para mais de 17 estados, que utilizam a mesma matriz de competências do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) do Governo Federal.

 

Deixe um comentário