Alunas denunciam casos de assédio e machismo em mais uma instituição de ensino goiana

Protágoras vira alvo de acusações. Instituição bloqueou comentários em sua rede social e ainda não se posicionou

Outra rede de ensino privada de Goiânia está sendo alvo de denúncias que apontam assédio e disseminação de preconceitos em sala de aula pelo corpo docente, dessa vez foi o Colégio Protágoras. Em uma publicação no Instagram da instituição no Dia Internacional da Mulher, alunas e ex-alunas fizeram relatos em que apontam excessos dos professores. O colégio bloqueou os comentários.

Em um dos relatos uma mulher que se identifica como ex-aluna relata: “Quantas vezes fui assediada por professor e tive que ficar calada por medo? Medo de ser perseguida, porque todo mundo sabia e sabe como os donos e o próprio corpo docente age”.

Em seguida outra aluna comentou: “É assustador, eu e muitas outras alunas assediadas assistimos nossas assediadores serem protegidos. Enquanto a postura do colégio não mudar, continuará acontecendo”.

Já é o segundo colégio goianiense a virar alvo das acusações. No início da semana internautas repudiaram a publicação do Dia Internacional da Mulher feita pelo Colégio WR. As alunas e ex-alunas apontam os mesmos problemas relatados na publicação do Protágoras. Nesta terça-feira, 12, o WR respondeu as acusações e considerou as denuncias como “mal-entendido”.

Até o momento o Colégio Protágoras não respondeu as acusações. O Jornal Opção tentou contato com a instituição, mas foi respondido que não haveria um responsável para falar sobre assunto. Assim que a instituição de ensino se manifestar sobre as acusações, o conteúdo será publicado.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.