Aldo Rebelo exalta realização da Copa do Mundo no Brasil durante transmissão de Ministério

“O Brasil é um país em construção. Tudo para nós é desafio, uma prova e põe em teste nossa capacidade”, disse na ocasião

Durante a cerimônia de transmissão de cargo no Ministério do Esporte, o ex-ministro Aldo Rebelo exaltou a realização da Copa do Mundo de 2014 no País. “Precisamos vencer ceticismos, superar descrenças e contornar obstáculos”, disse. O ex-ministro destacou ações integradas nas áreas de segurança pública, mobilidade urbana, portos, aeroportos e saúde para que o torneio pudesse acontecer. Agradeceu o apoio dos governos estaduais e municipais na organização do evento.

“O Brasil é um País em construção. Tudo para nós é desafio, uma prova e põe em teste nossa capacidade. Podemos ou não podemos? Faremos ou não faremos? Teremos competência ou não?”, disse, ao citar que há no Brasil um pessimismo ancestral e uma espécie de complexo de vira-lata. “Nunca acreditei nesse complexo”, concluiu.

Sobre o novo ministro do Esporte, George Hilton, Aldo garantiu saber da capacidade, do espírito público e da competência da equipe que o acompanha. “Recebi o ministério da presidenta Dilma e agora o devolvo com a mais absoluta convicção de que o servidor do País que o recebe haverá, no fim de sua labuta, devolvido o ministério com a duplicação do trabalho recebido”.

E com foco no esporte social e escolar, o ministro George Hilton assumiu a pasta. O novo titular ressaltou que vai dar atenção especial ao esporte social, educacional e de inclusão, para garantir o acesso à prática esportiva aos jovens e à população brasileira. “Vou dar atenção especial ao esporte social, ao esporte de inclusão, ao esporte educacional e comunitário. Quero intensificar a parceria com o Ministério da Educação para consolidar e ampliar o programa Atleta na Escola. O esporte escolar é o caminho para o desenvolvimento sustentável do esporte brasileiro”, disse.

George Hilton frisou ainda que o diálogo será a palavra de ordem da sua gestão: “Eu aprendi que a virtude maior de quem quer exercer decisões é ter a capacidade de ouvir aqueles que conhecem do assunto. Eu quero ouvir todos os segmentos, vou acatar as boas ideias que contribuam para a democratização da prática esportiva no país”.

*Com informações da Agência Brasil

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.