Aécio diz que Dilma se acovardou e que brasileiros “repudiam” governo

Após “panelaços”, presidente abriu mão do pronunciamento no Dia do Trabalhador em rede nacional de rádio e televisão

Foto:  Geraldo Magela/ Agência Senado

Foto: Geraldo Magela/ Agência Senado

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, divulgou nas redes sociais uma nota em que faz duras críticas à presidente Dilma Rousseff (PT) por ter optado abrir mão do tradicional pronunciamento do dia 1º de maio em rede nacional de rádio e televisão. Com receio de novas manifestações contrárias, a petista divulgou o discurso apenas no canal oficial do Planalto no Youtube.

“É lamentável que a presidente Dilma Rousseff tenha se acovardado e resolvido não falar aos brasileiros por ocasião das comemorações pelo 1° de Maio. Quem sempre se mostrou tão loquaz, agora evita dirigir-se à população numa data de tanto simbolismo para os brasileiros. Por que será que a presidente eleita pelo partido que se diz ‘dos trabalhadores’ teme tanto os trabalhadores?”, afirma o ex-presidenciável.

No comunicado, o tucano também critica a política econômica adotada pela presidente e afirma que os brasileiros “repudiam o governo. Confira nota na íntegra:

É lamentável que a presidente Dilma Rousseff tenha se acovardado e resolvido não falar aos brasileiros por ocasião das comemorações pelo 1° de Maio.

Quem sempre se mostrou tão loquaz, agora evita dirigir-se à população numa data de tanto simbolismo para os brasileiros. Por que será que a presidente eleita pelo partido que se diz “dos trabalhadores” teme tanto os trabalhadores?

Dilma deveria dirigir-se à nação para explicar por que promove o maior arrocho recessivo da história recente do país, que tanto penaliza quem trabalha e produz.

Seu governo bate todos os recordes negativos da história recente: a maior inflação em 20 anos, os piores resultados fiscais em 17 anos, mais baixos níveis de confiança desde o início do século, o menor crescimento econômico desde o governo Collor e a menor geração de empregos em mais de 15 anos, para citar apenas alguns exemplos.

Com a recessão, o torniquete aperta sobre a renda dos trabalhadores e sufoca o consumo. A saída – para quem pode – tem sido queimar os recursos guardados na poupança. A verdade é que tem sobrado mês e faltado salário no bolso dos brasileiros.

Impiedoso, o arrocho petista mira benefícios sociais e trucida direitos trabalhistas. A tesoura do ajuste só não cortou mais fundo porque o Congresso resistiu às investidas de Dilma e sua equipe econômica e impediu que a população fosse submetida a sacrifícios ainda maiores.

A recusa de Dilma em ocupar rede nacional de rádio e televisão também deixa claro, de uma vez por todas, a que se destinaram as mais de 20 convocações feitas anteriormente pela presidente: puro proselitismo político, marketing enganoso e propaganda ilegal, conforme a oposição não se cansou de denunciar.

Não adianta, porém, a presidente querer se esquivar de prestar contas. Não adianta querer evitar manifestações indignadas dos brasileiros. Cada um à sua maneira, com as formas que tem às mãos, cada brasileiro demonstrará a repulsa e o repúdio a um governo que não tem dado motivo algum para que os trabalhadores comemorem o seu dia.

Aécio Neves

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.