Adolescente morre após cair de uma cachoeira na Chapada dos Veadeiros

Acidente ocorreu por volta das 11h, no entanto, o corpo de Thayanara Gonçalves Gontijo só foi encontrado no final da tarde

adolescente cachoeira

Uma estudante de 17 anos morreu nesse sábado (18/10) após cair de uma das cachoeiras do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Alto Paraíso, cidade a 444 quilômetros de Goiânia. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o acidente ocorreu por volta das 11h, no entanto, o corpo de Thayanara Gonçalves Gontijo só foi encontrado no final da tarde.

A adolescente era moradora da cidade de Formosa, situada a 75 quilômetros de Brasília, e cursava o último ano do ensino médio no Colégio dos Sagrados Corações e planejava, segundo familiares, prestar vestibular para o curso de Direito.

O enterro está marcado para acontecer neste domingo (19).

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é reconhecido pela Unesco como Patrimônio Natural Mundial. Devido à sua paisagem e história peculiar, a região recebe inúmeros turistas ao longo do ano.

Uma resposta para “Adolescente morre após cair de uma cachoeira na Chapada dos Veadeiros”

  1. Ronaldo Ferreira Gontijo disse:

    Thayanara
    Gontijo foi vítima de crime, nos exatos termos do artigo 133, §§ do Código
    Penal, que reza:

    Art. 133 – Abandonar pessoa que está sob seu cuidado, guarda, vigilância ou
    autoridade, e, por qualquer motivo, incapaz de defender-se dos riscos
    resultantes do abandono:

    § 2º – Se resulta a morte:

    Pena – reclusão, de quatro a doze anos.

    Aumento de pena

    § 3º – As penas cominadas neste artigo aumentam-se de um terço:

    I – se o abandono ocorre em lugar ermo;

    Note-se que a Lei fala “por qualquer motivo”. Demais, a lei penal
    brasileira pune indiferentemente tanto “aquele que sabe como aquele que
    deveria saber”, e igualmente pune por comissão (quem comete o crime) ou
    omissão (aquele que não faz nada para evitar). Mas…quem foi preso em Alto
    Paraíso. Onde estão os donos dessa Fazenda Raizama? E aquele guia turístico
    mentiroso que disse que o casal ultrapassou faixa de segurança, sinal de
    alerta, quando tudo é pura mentira, e ele só está interessado no próprio
    emprego às custas da vida dos outros? Na foi feito. Aliás foi: no interesse dos
    montanhistas, as pessoas agora, mesmo que nunca tenham visto uma montanha, não
    precisam mais de acompanhamento. A morte que andava solta por lá, agora voa
    livremente, que nem Thayanara Gontijo em seu voo involuntário para a morte. Meu
    conselho: nem passem perto daquele Alto Prejuízo de Goiás.

    Embora Thayanara fosse menor de idade, o incapaz a que se refere
    a Lei Penal, nada tem a ver com a idade. Diz respeito à incapacidade da pessoa
    de se defender na circunstância do crime. Este foi o caso em no Salto Raizama,
    onde os donos do local abandonam o local sem a mínima estrutura de segurança
    para proteger a vida das pessoas. Thayanara era incapaz de de se defender da
    morte, e por isso os donos do local são responsáveis criminalmente.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.