Adolescente de 15 anos é morta com tiro no peito no Setor Sudoeste

Titular da DIH afirma que há duas linhas de investigação, já que casos semelhantes têm ocorrido com mulheres em que o bandido dá voz de assalto, mas não leva pertences

Um tiro no peito durante uma possível tentativa de assalto no final da tarde da última sexta-feira (23/5) tirou a vida de uma adolescente de 15 anos no Setor Sudoeste, em Goiânia. Carla Barbosa Araújo estava acompanhada da irmã, que não foi atingida. Ambas estariam sem os aparelhos celulares pedidos pelo assaltante, que não acreditou e nervoso efetuou o disparo. De acordo com boletim da Polícia Militar, o homem estava em uma motocicleta de cor preta. O autor não foi identificado e segue foragido até este sábado (24).

O caso está sendo apurado pela Delegacia de Investigações de Homicídios (DIH) pelo delegado Adriano Sousa. Conforme ressaltou à reportagem o titular da DIH, delegado Murilo Polati, o caso de Carla está com dois inquéritos abertos. “Um investiga a suspeita de latrocínio e o outro se foi um homicídio encomendado, já que casos de mulheres assassinadas na capital nos últimos meses trazem a mesma característica de ser semelhante a um assalto, mas que nenhum pertence da vítima é levado”, explicou.

Este é o terceiro assassinato de mulheres neste mês em suposto assalto. No dia 8 duas jovens foram assassinadas na capital. Uma em um bar no jardim América e outra em um ponto de ônibus do Setor Bueno.

Dentre os casos que se encaixam nessa suspeita está o da assessora parlamentar Ana Maria Victor Duarte, de 26 anos, assassinada a queima roupa na noite de 15 de março durante suposto assalto em uma lanchonete do Setor Bela Vista.

Em contrapartida, em 5 de maio último a gerência de Análise de Informações da Secretaria da Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) divulgou que o primeiro quadrimestre de 2014 registrou 185 assassinatos na capital. No mês de abril, foram 48 assassinatos. Segundo os dados, o número de homicídios registrou uma queda em Goiânia, comparando com o mesmo período do ano passado. Por determinação da pasta, os cartórios das delegacias de Goiás não têm mais autorização de repassar esses dados à imprensa, ficando a cargo da secretaria a cada início de mês apresentar um balanço.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.