Administração estadual é aprovada por 41,1%

Índices de aprovação do governo Marconi Perillo são praticamente os mesmos do mês anterior. Apesar do bom resultado, eleitores consultados atribuem nota 5,1 à segurança pública no Estado

A gestão do governador Marconi Perillo (PSDB) tem a aprovação de 41,1% dos goianos, ainda que a questão da segurança pública aflija a maior parte da população do Estado. É o que aponta pesquisa Serpes, que buscou entender o que os goianos esperam que seja feito para minimizar o problema da criminalidade em Goiás e qual avaliação geral fazem do governo tucano.

Segundo o levantamento, 41,1% dos 801 eleitores consultados entre 10 e 15 de agosto consideram a atual administração boa ou ótima; 36,8% como regular; 19,6% como ruim ou péssima, e 2,5% não souberam responder.

Os índices se mantiveram praticamente estáveis em relação aos dados apurados no mês anterior. Naquela ocasião, 41,2% declararam como bom ou ótimo; 36,5% como regular; 20% como ruim ou péssima, e 2,4% não souberam responder.

Apesar da boa aceitação, a população não reconhece como positivo o trabalho do governo na questão da segurança pública. A nota média dos eleitores para esse quesito foi de 5,1, em uma escala de zero a 10.

A nota mais atribuída foi a zero, escolhida por 24,1% dos consultados. Em seguida vêm as notas 5 (21,6%); 4 (8,1)% e 6 (8%). A nota menos atribuída foi 9 (0,9%). A avaliação 10 foi escolhida por 3,6%. Os índices mostram que 50,9% daqueles que responderam ao questionário atribuíram nota menor que 5.

A pesquisa também questionou “o que você acha que seria necessário fazer para você se sentir mais seguro?”, oferecendo oito opções de resposta. A mais escolhida (40,6%) diz que seria a punição mais severa para os crimes cometidos por menores de idade. Medidas como aumento de contingente nas ruas (23,1%); investimento em programas para menores – como escolas de tempo integral – (10,5%); e aparelhamento da polícia (6,7%) aparecem logo em seguida.

Os itens menos votados são a agilização dos processos no judiciário (6,5%); a fiscalização frequente, sistemática e severa das ações dos policiais e do Judiciário (4,5%); fiscalização maior e melhor do sistema de armas (1,7%) e mais eficiência na investigação policial (1,5%). 5% não opinaram.

Deixe um comentário