Ex-governador tem ligações com o grupo da OAB Forte, representado no pleito da advocacia por Pedro Paulo de Medeiros

Henrique Tibúrcio e Marconi Perillo | Foto: Leoiran

O ex-governador Marconi Perillo (PSDB), que não esconde sua preferência por Pedro Paulo de Medeiros na disputa da OAB-GO, articulou com o presidente nacional do Pros, o goiano Eurípedes de Macedo Júnior, para que a sigla ingressasse com uma ação direta de inconstitucionalidade (ADI) no Supremo Tribunal Federal (STF) para derrubar dispositivo do regulamento da OAB que veda o voto do advogado inadimplente no sistema.

Marconi tem laços estreitos com a OAB Forte, grupo representado por Pedro Paulo. O ex-presidente da OAB-GO Henrique Tibúrcio renunciou à presidência da Ordem em 2015 para a assumir a Secretaria de Estado de Governo no administração de Marconi. O ex-governador José Eliton também é um dos expoentes da OAB Forte.

A autorização para que o inadimplente possa votar é a principal pauta de Pedro Paulo nas eleições e atende a dois propósitos. Um deles é criar uma comoção na advocacia em torno das dificuldades financeiras da categoria, que na realidade, mais do que pela pandemia, é produto da proletarização da advocacia.

O outro é manter sub judice um resultado desfavorável nas urnas, questionando a legitimidade do eleito. As pesquisas têm indicado a vitória do situacionista Rafael Lara, que tem o apoio do atual presidente Lúcio Flávio de Paiva.

Uma eventual declaração de inconstitucionalidade da vedação aos inadimplentes é tudo que Pedro Paulo precisa para questionar a legitimidade da eleição de 2021 e já iniciar sua campanha para 2024.