Adesão de fundador do Acredito ao MDB traz medalhões da política a Goiânia

Senadores Simone Tebet (MDB) e Alessandro Vieira (sem partido), além da deputada Tábata Amaral são esperados em Goiás até o fim do mês

A adesão de integrantes goianos do movimento suprapartidário Acredito ao MDB goiano deve trazer a Goiânia, até o próximo dia 31, importantes nomes da política nacional. Para encontros emedebista com o movimento são esperados os senadores Simone Tebet (MDB), pré-candidata à Presidência da República, Alessandro Vieira (sem partido) e a deputada Tábata Amaral (PSB-SP). 

Vieira e Amaral também integram o Acredito, que foi fundado em 2017, prometendo renovar a política brasileira, a partir da atuação dos membros no Congresso Nacional. Porém, para chegar lá, até o momento, apenas por via partidária. Sabendo disso, nas eleições de 2018, a aposta para conquistar uma cadeira na Câmara dos Deputados ou Senado foi por legendas menores, como REDE Sustentabilidade, PDT e Cidadania.

“A renovação ela tem que vir de partidos grandes também. Tem duas formas de ver, a renovação por fora, por partido pequenos, eu senti que foi meio que padrão (em 2018), eu fiz isso e não me arrependo, eu saí pela REDE, foi bacana, eu gostava, foi interessante, mas agora o Brasil está começando a se concentrar em partidos maiores”, comenta José Frederico Lyra Netto, cofundador do Acredito e pré-candidato a deputado federal, destacando que houve “amadurecimento” também do grupo.

Naquelas eleições, o movimento conseguiu emplacar dois deputados federais, um senador e 16 deputados estaduais. A meta para este ano, segundo Lyra Netto, é chegar a 10 parlamentares eleitos em todo o país. Sem representação na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), o Acredito pretende lançar dentre nomes, do procurador do Estado Tomaz Aquino, que é suplente de vereador em Goiânia, pelo Cidadania. Ele também deve ir para o MBD.  

Lyra reforçou que partidos como o MDB também percebem a necessidade de renovar quadros de filiados, e que por isso, surgiu o convite da integração com o movimento. Mas porque ingressar na sigla já para disputar uma cadeira na Câmara Federal, sem ter tido um mandato? “Eu venho de um movimento de renovação política que sonha em renovar o Congresso. Então a nossa ideia é ter um Congresso com a cara do Brasil, mas próximo do Brasil, e a gente entende que um deputado federal tem muito poder, sendo agora donos do orçamento. As pessoas olham muito para o presidente e esquecem o Congresso. Às vezes não lembra em quem votou para deputado, que tem um poder enorme”.

A votação de Lyra Netto em 2018, de quase 10 mil votos, ficou mais próximo dos votos para deputado estadual, quando, com o quociente eleitoral, os últimos a ingressar no Legislativo goiano, obtiveram pouco mais de 14 mil votos. Na legenda liderada por Daniel Vilela, cabe ressaltar, ninguém conseguiu ingressar na Câmara Federal.  

Na vida pública, vale ressaltar que o pré-candidato a federal foi titular do Escritório de Prioridades Estratégias da Prefeitura de Goiânia e, antes, no governo do ex-governador Marconi Perillo (PSDB), assumiu a Superintendência de Programas Educacionais Especiais da Secretaria de Educação Estadual.

Ao se aproximar do movimento, o presidente estadual Daniel Vilela e o presidente nacional, deputado Baleia Rossi, sinalizam para uma nova atuação do partido. Em Goiás, quase todos os parlamentares estão deixando a sigla e novas lideranças demonstram interesses de se filiar. “Eu vi o Daniel com esse esforço (renovação). E tem quadros com esse perfil, eu posso citar, por exemplo, o Andrei (Azevedo), que foi secretário do governo, um cara incrível”, aponta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.