Abate de suínos cresce no segundo trimestre de 2020 e chega a 12 milhões de animais

Na contramão, produção pecuária do Brasil registrou queda no abate de bovinos e frangos no mesmo período

Foto: Reprodução.

O abate de suínos cresceu, tanto na comparação com o primeiro trimestre de 2020 quanto no confronto contra o segundo trimestre de 2019. Na contramão, produção pecuária do Brasil registrou queda no abate de bovinos e frangos no segundo trimestre de 2020. Os dados, divulgados nesta quinta-feira, 13, são resultados da Estatística da Produção Pecuária realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com o mesmo período do ano passado, o abate de bovinos caiu 9,7% e o de frangos, 1,6%, enquanto o de suínos cresceu 5,9%.Já contra o trimestre passado, houve diminuição de 1,2% no abate dos bovinos e 7,2% no de frangos, ao passo que o abate de suínos também cresceu nesta comparação, 1,6%.

Animais abatidos

O balanço atualizado apontou que foram abatidas 12,07 milhões de cabeças de suínos. O peso acumulado das carcaças registrou 1,10 mi de toneladas, uma alta de 8,2% em relação ao segundo trimestre de 2019. Em comparação com o trimestre anterior, o aumento foi de 3,2%.

Foram abatidas 7,17 milhões de cabeças de bovinos sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária. Já a produção de carcaças bovinas foi 1,85 milhão de toneladas, número que representa uma queda de 6,6% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior e aumento de 0,5% em relação ao primeiro trimestre de 2020.

A pecuária brasileira também abateu, de acordo com o estudo, 1,40 bilhão de cabeças de frango no segundo trimestre de 2020. O peso acumulado das carcaças foi de 3,21 milhões de toneladas, o que representa -4,0% em relação ao segundo trimestre de 2019 e -7,7% frente ao primeiro trimestre de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.