Abandono: moradores de Senador Canedo se queixam da falta de Saúde e saneamento no município

Falta de atendimento médico especializado, desabastecimento de água, falta de saneamento e infraestrutura marcam a vida de quem mora e precisa do serviço público na cidade

O Jornal Opção trouxe há poucos dias uma matéria apontando os principais problemas de Senador Canedo, de acordo com a Pesquisa Grupom realizada entre os dias 8 e 10 de outubro de 2020. Nossa equipe de reportagem esteve na cidade e conversou com alguns moradores que apontaram as principais dificuldades enfrentadas no município.

A saúde foi alvo de reclamação por parte da maioria dos entrevistados. De acordo com moradores, o município não tem condições de oferecer atendimento especializado e nem estrutura para casos mais graves. O comerciante, Bruno Ferreira, contou à reportagem que para fazer uma cirurgia simples teve que procurar atendimento na capital.

“Quando eu tive de fazer uma cirurgia para apendicite, tive que ir para Goiânia ser atendido. Em situações do tipo, nós sempre temos que ir para lá, fazer operações, coisas mais sérias, porque não tem estrutura nos hospitais daqui.”

Joana D’arc Ferreira, a filha e o neto reclamam da falta de atendimento hospitalar na cidade | Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

Nós encontramos a dona Joana D’arc Ferreira, moradora do Residencial Jardim Canedo II, na porta de sua casa com sua filha Giovanna e seus netos Samuel, de 8 anos e Anna Luiza, 7 anos. Joana se queixou da falta de kit para primeiros socorros nos postos de saúde e maternidades da região. “Nunca achamos ajuda nos hospitais. Agora né, que estamos nas eleições, os políticos decidem fazer uma coisinha ou outra” relata a avó. Ela também questiona a falta de creches e de oferta de trabalho na região.

Ailton de Lima | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

Na porta da UPA de Senador Canedo, o servente de pedreiro Ailton de Lima foi outro a questionar de problemas no sistema de saúde. Ele acompanhava o filho Ronivaldo, de 14 anos, para fazer uma tomografia, e reclamou do tempo de atendimento. “A gente não consegue ser atendido com agilidade aqui não. Eu estou aqui esperando meu filho sair tem mais de uma hora.

Ailton contou ainda que há poucos dias também precisou de atendimento para a esposa, e, mais uma vez, saíram insatisfeitos. “Os funcionários daqui pediram para que fossemos na área exclusiva para atendimento de Covid-19. Mas como ela não tinha sintomas, era só uma dor de cabeça, nos mandaram para outro lugar, só que chegando lá, mandaram a gente de novo para o posto da Covid”.

Saneamento

A questão do saneamento também foi alvo de queixas por parte dos moradores. Um morador, que pediu para não ser identificado, argumentou que a questão da falta de água é culpa da falta de infraestrutura da cidade. “O município recebe muita gente de outros lugares e cresce de uma forma desordenada. Os sistemas acabam defasados, mesmo tentando ampliar as coisas”, analisa.

O comerciante Bruno Ferreira, disse que a falta de água é recorrente. “Um dia é no meu bairro, no outro dia é no bairro vizinho. Ontem mesmo (dia 15), faltou água lá em casa”.

A Pesquisa Grupom apontou que o desabastecimento de água foi eleito por 44% dos moradores como o principal problema da cidade. Desde setembro, moradores do Residencial Solar das Oliveiras reclamam que a água que chega às torneiras está completamente imprópria para o consumo ou para atividades domésticas.

O autônomo Ramos Ferreira, de 39 anos, conta que muitas os moradores pagam por uma água que não pode ser consumida. “Fica o tempo sem água e quando ameaça voltar está tudo suja, tem que jogar fora. E tudo passa lá no hidrômetro, está contando”, diz.

Mas basta uma volta pela cidade para perceber que o problema de Senador Canedo vai muito além do desabastecimento de água e falta de atendimento na Saúde. Ruas esburacadas e praças em verdadeira situação de abandono revelam uma gestão deficitária e falta infraestrutura do município.

Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.