A vida é um sopro e a morte de Marília Mendonça nos lembra disso

Perdas emblemáticas e repentinas vêm para reforçar o que deveria ser uma redundância: é preciso saber viver

Marília Mendonça: morte aos 26 anos, de forma trágica e repentina | Foto: Reprodução

Uma cantora e compositora talentosíssima, reconhecida no meio pela música que fazia e que chegou ao auge muito nova. Marília Mendonça, como tantos outros artistas, agora, virou estrela muito cedo.

Na vida vigiada a qual nos condicionamos – e com a qual colaboramos, inclusive –, ela fez sua última postagem, na rede Instagram, já dentro do avião em que perderia a vida: era uma brincadeira entre expectativas e realidades.

Com uma agenda de shows em Minas Gerais neste fim de semana, ela colocou um vídeo – bem trabalhado, diga-se – brincando com as delícias da gastronomia do Estado: o queijo canastra, o feijão tropeiro, a cachaça artesanal. Delícias, mas que estão ao alcance de todos os paladares. A realidade, porém, era a comida de avião, um “marmitex” que ela degustava na poltrona da aeronave, enquanto seguia para cumprir compromissos.

O avião caiu. As primeiras notícias vindas da própria assessoria da cantora davam notícias de alívio, comunicando que todos os ocupantes teriam sido resgatados com vida. Era a expectativa. Infelizmente, não foi a realidade. Apesar do corpo da aeronave ter ficado relativamente conservado, sem sinais de explosão – o que aumentava a esperança –, ninguém sobreviveu.

Escrevo este texto ainda nos primeiros momentos após a confirmação da morte da cantora. A repercussão que isso terá ainda não dá para ter certeza, mas ocupará quase todo o noticiário do fim de semana e os dias a seguir. Como ocorreu com, Cristiano Araújo, outro nome da música sertaneja nascido em Goiás e que perdeu a vida precocemente, também em um acidente, mas rodoviário.

Aos fãs, fica a perplexidade e a tristeza. À família e aos amigos próximos, um luto dos mais dolorosos. E a todos, a certeza que deveria ser, para todos, uma redundância: é preciso saber viver e se ocupar do que é realmente importante. A vida é um sopro ou, como escreveu Gonzaguinha – outro que se foi cedo demais, também numa rodovia – “a vida da gente é um nada no mundo, é uma gota, um tempo que nem dá um segundo”.

Não custa escrever e ler essas palavras para indicar isso para si mesmo mais uma vez.

5 respostas para “A vida é um sopro e a morte de Marília Mendonça nos lembra disso”

  1. Avatar CAROLINE NOGUEIRA SANTANA disse:

    Li chorando 😢.

  2. Avatar Juliana Morais disse:

    Obrigado amigo por sua sensibilidade. O texto vem em boa hora.

  3. Avatar Vanderlei Figueiredo de carvalho disse:

    Terrível a vida é cruel como é que tem gente que ainda fala q existe este tal de Deus. Se existisse não permitiria q acontecesse isto. E tantas outras perdas preciosas. O ser humano é que é fantástico. Pobres seres humanos .somos todos mesmo cobaias de Deus. Pra quem acredita q existe um. Até mesmo o próprio diabo deve tá apavorado com o que estão fazendo com os pobres seres humanos. Nem o demo teria coragem de fazer isto. Contemos todos com uns aos outros.pois só nós mesmo é q podemos nos ajudar. Não acreditem em forças divinas. Pois é tudo balela. A força está dentro de nós mesmos. E se nós não nos ajudarmos ninguém mais o fará…….

  4. A vida é como uma sombra que apare, e logo desaparece.
    A Bíblia diz que ao homem está destinado morrer
    uma única vez, vindo depois disso o juízo que é o julgamento. (Hebreuss 9.27 )

  5. Avatar Graciano Arantes disse:

    Belo texto!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.