A pedido da coligação Pra Goiânia Seguir em Frente, Justiça suspende divulgação de pesquisa contratada pela campanha de Vanderlan

Argumento foi de que pesquisa apresenta “sérios vícios” que podem interferir no resultado final do levantamento, como irregularidades na divulgação dos entrevistados e marcação precisa dos locais aonde o estudo seria feito

Atendendo um pedido da coligação Pra Goiânia Seguir em Frente, a Justiça Eleitoral determinou neste domingo, 22, que o resultado de pesquisa Grupom, contrata pela campanha de Vanderlan Cardoso (PSD), que disputa a prefeitura de Goiânia, não seja divulgada.

A decisão, do juiz Reinaldo Alves Ferreira, acatou o argumento de a pesquisa apresenta “sérios vícios” que podem interferir no resultado final do levantamento, como irregularidades na divulgação dos entrevistados e marcação precisa dos locais aonde o estudo seria feito.

O juiz considerou que, ao indicar de maneira detalhada os locais aonde seriam coletados os dados empíricos, o instituto poderia gerar “o grande comparecimento de entrevistados com intenção de manifestar interesse em específico candidato”, apontou Reinaldo Alves Ferreira. “O que, sem sombra de dúvidas, poderá distorcer os resultados da pesquisa, expressando resultado em total descompasso com a realidade”, complementou.

A defesa da coligação Pra Goiânia Seguir em Frente afirmou que decidiu questionar o referido levantamento após analisar a íntegra da pesquisa e o questionário e identificar diversas irregularidades. O fato de a checagem ter sido contratada pelo candidato adversário também causou estranheza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.