A Ambev é exemplo para Goiás, diz relator da CPI dos incentivos fiscais

Humberto Aidar cita a empresa instalada em Anápolis como fundamental para a arrecadação

Oitiva do representante da Ambev Ricardo Gonçalves de Melo | Foto: Eduardo Pinheiro/Jornal Opção

A Ambev recebeu R$ 674.6 milhões  em incentivos fiscais do programa Fomentar, entre 2014 e 2018. De acordo com dados levantados pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, na tarde desta segunda-feira, 30, a carga tributária girou em torno de 7.68% de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

De acordo com o relator da CPI, o deputado estadual Humberto Aidar (MDB), a Ambev é fundamental na arrecadação do estado. Ele diz que fez questão de ouvir o diretor da Ambev, Ricardo Gonçalves de Melo, para mostrar que uma empresa pode ser um exemplo bom, com carga de 7.68% , enquanto outras empresas pagara em torno de 0.5%.

“O povo de Goiás não entende essa diferença. Nós vamos corrigir essas distorções com lei formulada nesta casa. CPI parasse agora nós teriamos dado nossa contribuição”, disse Aidar. “Queremos empresas aqui, mas tem que ter a contrapartida. O estado está quebrado. Mas muitas empresas ganharam muito e não entregaram nada”, completa.

O diretor da empresa salientou que o programa de incentivos Fomentar exigiu 34 obrigações e foram todas cumpridas. “Tínhamos compromisso de realizar investimentos e investimos R$ 764 milhões em Anápolis, quase triplicamos o exigiso. Tínhamos também obrigação de gerar mais 190 empregos e geramos 709. Temos orgulho de estarmos em Goiás”, reforçou.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.