3º Turno da Saúde: agilidade no atendimento surpreende pacientes

Jornal Opção passou a noite no HGG e conheceu algumas das pessoas atendidas no horário alternativo implementado pelo projeto que quer zerar fila de espera

Este slideshow necessita de JavaScript.

Há 51 anos casados, os aposentados Vicente de Paula Campos, 77, e Maria Aparecida Campos, 73, passam juntos por mais uma etapa da vida que requer força: a cirurgia de prótese no quadril de Vicente, que foi feito no Hospital Estadual Geral de Goiânia Alberto Rassi (HGG) na noite da última quarta-feira (25/4), em horário antes não disponível para quem estava na lista de espera. Os dois aguardaram desde setembro do último ano pelo procedimento que, se não fosse o programa 3º turno da Saúde, não havia previsão para acontecer.

Pouco antes da cirurgia de Vicente a reportagem do Jornal Opção, que acompanhou todo o 3º turno do HGG na noite da quarta-feira (25), falou com o idoso que estava muito feliz em, finalmente, poder fazer o procedimento sem esperar tanto. “Não posso reclamar de nada, começamos o processo em setembro do ano passado e, para uma cirurgia dessas, até me surpreendi com a agilidade. O povo fala tão mal da saúde pública, mas aqui foi ótimo, fui super bem recebido, atendido e estou tranquilo agora”, disse o aposentado que chegou à noite anterior com a mulher e passou o dia no hospital, se preparando para a operação.

O Programa 3º turno da Saúde, do governo estadual, em funcionamento desde a última segunda-feira (23/4), vem proporcionando aos pacientes uma agilidade maior no atendimento em consultas, exames e cirurgias, como foi o caso do Vicente. O projeto ampliou o horário de atendimento do Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo (Crer) e do Hospital Estadual Geral de Goiânia Alberto Rassi (HGG) que, agora, estão atendendo até às 23h e aos sábados, pessoas antes em filas de espera.

Para o programa, onde serão investidos R$ 36 milhões, a expectativa é de realizar 11.630 exames especializados, 5.236 consultas e 925 cirurgias em diversas especialidades como oftalmologia, urologia, neurologia, dermatologia, angiologia e cirurgias gerais. Só nessa primeira semana já foram realizados mais de mil atendimentos.

O médico e diretor técnico do Hospital, Durval Ferreira Fonseca, disse que, com o 3º turno da saúde, o HGG vai poder consultar mais de 900 pessoas por dia – antes eram quase 800 – e realizar cerca de 100 cirurgias a mais por mês. “É um programa que incrementa de 30% a 40% no atendimento de alguns setores do hospital”, reforça. Durval afirmou, ainda, que “o programa ajuda a agilizar também os atendimentos que acontecem fora deste horário”.

Durante o acompanhamento, a reportagem registrou e comprovou, em menos de duas horas, das 17 horas às 19 horas, o esvaziamento do Ambulatório de Medicina Avançada (Ama), onde mais de 100 pessoas aguardavam atendimento e foram encaminhadas para as alas de consultas e exames, estas exclusivamente pelo 3º turno.

Dentre os pacientes a aposentada Silvia de Oliveira, 66, foi uma das que disse ter sido pega de surpresa pela ligação pedindo para que a idosa viesse ao atendimento noturno. “Achei diferente, gostei muito. É uma terceira opção e eu não precisei interromper minhas atividades diárias”, disse. Silvia foi chamada para uma consulta que ia determinar a necessidade de operar um condiloma.

Já nas alas de consultas e exames, para onde foram encaminhados os pacientes do 3º turno, o Jornal Opção encontrou a recém aposentada Miracildes Mendes Rodrigues, 61, que iria fazer um raio-x da face e, posteriormente, marcar uma cirurgia para curar sua sinusite. A idosa estava também muito satisfeita com o atendimento noturno.

“Eu sempre amei o atendimento do HGG, apesar de ser lotado, por que nunca tem profissionais suficientes nos Cais e as pessoas sempre acabam vindo pra cá, foi o lugar onde melhor fui atendida sempre que precisei. Agora com o atendimento a noite, melhor ainda”, conta a ex-manicure que já passou por uma cirurgia de retirada da vesícula na unidade, há quatro anos.

De acordo com o governador José Eliton (PSDB), precursor do programa em Goiás, “a partir desta segunda-feira (30/4), todas as unidades estaduais de saúde estarão atendendo em terceiro turno pelo período de um mês”. A ideia é que, após esse período, com o sinal verde da Secretaria da Saúde do Estado, esse ciclo ocorra 24 horas por dia.

Já o Programa 3º Turno da Saúde no HGG e no Crer, a princípio, é temporário e deve durar oito meses, atendendo os pacientes que estão aguardando por consultas, exames e cirurgias. Todos serão chamados pelas unidades de saúde da rede sob gestão estadual. Até dezembro serão 142 mil atendimentos realizados, como foi o do Vicente que, segundo sua esposa, teve alta na sexta-feira (28/4) e passa muito bem.

Deixe um comentário