Funcionários públicos, alunos e o Sindicato dos Servidores da Fundação Univer­sidade do Tocantins (Unitins) continuam cobrando do governo do Estado, a transformação da Fundação em autarquia. Querem que a instituição tenha autonomia financeira, patrimonial, administrativa e orçamentária para um melhoramento dos trabalhos.

Caso a transformação a­conteça, avalia o movimento, será permitida a redução de custos trabalhistas, visto que a entidade desembolsa uma gama de encargos trabalhistas em porcentuais superiores aos despendidos pelo Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Tocantins (Igeprev), onerando de forma significativa os cofres públicos.

De acordo com as lideran­ças do movimento, a Unitins não tem conseguido atender como entidade de direito privado às reclamações de seus servidores. “A transformação em autarquia vai permitir que a Unitins cumpra o seu verdadeiro papel no desenvolvimento do Tocantins e o fomento do capital intelectual de seus colaboradores”, segundo o Sindicato dos Servidores do Estado.