Manipular imagens apenas com apenas um clique e um arrastar de mouse. É o que propõe um aplicativo criado por pesquisadores do Google, MIT e a Universidade da Pensilvânia. O DragGan foi apresentado pelo grupo através de um artigo demonstrando as funções da ferramenta. 

“Neste trabalho, estudamos uma maneira poderosa, mas muito menos explorada, de controlar GANs, ou seja, “arrastar” quaisquer pontos da imagem para atingir com precisão os pontos-alvo de maneira interativa com o usuário”, diz o artigo.

IA consegue trocar expressões de animais, forma dos veículos e montanhas, além de formato de roupas | Foto: Reprodução

Sua funcionalidade não se limita apenas a alterar ou esticar os pixels de maneira criativa. A IA é capaz de regenerar áreas da imagem que não existia, sendo capaz de mudar posições, expressões faciais de seres humanos, alongar ou diminuir roupas, mudar veículos de posição e etc.

Os pesquisadores apontam que, embora o software seja capaz de controlar as redes neurais chamadas de Generative Adversarial Networks (Gan´s) para criar imagens, a nova ferramenta utiliza dois componentes principais. A primeira é a supervisão de movimento baseada em recursos de orientação do ponto de movimento. Essa técnica pode ser vista no momento em que se escolhe a criação de dois pontos para para que a imagem se mova em direção ao destino.

A segunda envolve uma nova abordagem de rastreamento que aproveita os recursos discriminativos GAN AI para manter a localização da posição dos pontos de controle.

O trabalho de pesquisa afirma que “qualquer um pode deformar uma imagem com controle preciso sobre onde os pixels vão, manipulando assim a pose, forma, expressão e layout de diversas categorias, como animais, carros, humanos, paisagens, etc.”

O pensamento de ser capaz de “fazer uma foto de um leão espreitando pela savana” é intrigante, para dizer o mínimo. Os pesquisadores observaram que sua “abordagem pode alucinar conteúdo ocluído, como os dentes dentro da boca de um leão, e pode deformar seguindo a rigidez do objeto, como a dobra de uma perna de cavalo”.

Confira um vídeo de demonstração

Uso de imagens criadas a partir da IA na política

Após o anúncio da candidatura à reeleição do presidente dos Estados Unidos da América Joe Biden, o partido Republicanos lançou uma peça publicitária com imagens geradas a partir de inteligências artificiais.

A peça publicitária, criada para atacar a imagem do atual presidente americano, questiona “o que aconteceria se o presidente mais fraco fosse reeleito”. O vídeo segue com conteúdos que simulam protestos, crise econômica e guerra em território americano.

O vídeo sugere ainda que o presidente seria incapaz de conter uma escalada das tensões internacionais, o que resultaria em invasões de chineses e mexicanos ao país.