Todos já ouvimos defesas apaixonadas sobre o melhor plano para se livrar dos quilinhos a mais. Há quem diga que basta comer menos e ponto: emagreceremos de forma inequívoca. Outros defendem que, se você não partir para o tipo de exercício certo, nada feito em relação à balança. Só que a ciência não existe para para agradar opiniões pessoais.

Uma nova pesquisa da Universidade de Stanford aponta que fazer musculação é melhor para queimar gordura e controlar o açúcar no sangue do que manter uma rotina de exercícios cardiorrespiratórios. Publicada na edição de outubro do jornal científico Diabetologia, a pesquisa contou com 186 indivíduos com diabetes tipo 2. Eles tiveram seus indicadores de saúde acompanhados ao longo de nove meses para avaliar os efeitos dos exercícios físicos no funcionamento do corpo.

Resultados comparados

Os participantes foram divididos em três grupos: alguns faziam apenas treinos de musculação, outros exclusivamente cardio e os demais mantinham uma rotina que combinava cardio e musculação.
Nos treinos de musculação, os participantes eram incentivados a malhar pernas e braços três vezes por semana, enquanto os de cardio deviam usar a esteira ou a bicicleta ergométrica em igual periodicidade.
Apenas os voluntários que fizeram exclusivamente treinos de força tiveram aumento de massa magra no corpo; eles também apresentaram melhores índices de controle do açúcar no corpo.

Então não compensa fazer cardio?

Os pesquisadores destacam que fazer cardio não é ruim, inclusive nas medições dos primeiros meses tinham resultados equivalentes aos da musculação, mas, ao seguir com a prática, os treinos de força foram os que conseguiram melhores resultados para diminuir a quantidade de gordura do corpo.

Embora a musculação não queime tantas calorias como um treino de cardio, ela cria massa magra, cuja exigência energética é maior para ser mantida. Ainda assim, para os médicos de Stanford, fazer cardio compensa especialmente nas primeiras fases em que há emagrecimento mais acentuado.