Em Goiás, 505.171 pessoas sofrem de diabetes, segundo a Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO). Fome frequente, sede intensa, desânimo, fraqueza, sonolência, tontura, perda de peso, necessidade de urinar em excesso, dificuldade na cicatrização de feridas e infecções frequentes, esses são alguns sinais que podem indicar um caso de diabetes. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), a doença afeta mais de 13 milhões de brasileiros e é tema da Campanha Novembro Azul, já que o Dia Mundial de Conscientização da Diabetes é celebrado neste mês.

A diabetes surge a partir do excesso de açúcar na corrente sanguínea, que acontece devido a uma produção insuficiente ou pelo mau funcionamento da insulina, que é o hormônio responsável por levar a glicose para dentro das células, impedindo que ela acumule no sangue. Apesar de afetar cerca de 6,9% de toda a população do país, a doença é bastante perigosa, explica a médica da família e comunidade da TOTUM Saúde, Dra. Evelyn de Ramos, que participa de um programa especial de acompanhamento de pessoas com diabetes. “Sem tratamento adequado, a diabetes prejudica os olhos, rins e nervos e ainda aumenta o risco de doenças cardiovasculares, como infarto e derrames, que podem até levar à morte”, alerta a médica.

Entre as consequências mais comuns da diabetes está a retinopatia diabética, que pode ser responsável pela perda parcial ou total da visão. A doença atinge mais de 150 mil brasileiros por ano, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Para a médica oftalmologista, Dra. Thais Azeredo Bastos, do CBCO Hospital de Olhos, um dos fatores mais preocupantes na retinopatia é o início silencioso. “Os sintomas costumam surgir quando o problema afeta a região central do olho, o que pode demorar e aparecer apenas quando a doença já está avançada, fazendo com que o paciente não procure o oftalmologista por acreditar que está tudo normal”, explica a especialista.

A glicemia descontrolada pode causar alterações nos vasos sanguíneos do olho, originando microaneurismas, que correm o risco de romper e causar a perda da visão. Em estágios avançados de retinopatia, o paciente pode perceber manchas ou escurecimento súbito da visão, além de desenvolver hemorragia e descolamento da retina. Para evitar que a doença avance tanto, a pessoa com diabetes deve ter o acompanhamento de um oftalmologista e ainda seguir à risca as recomendações do especialista que trata da própria diabetes e que, com certeza, incluem uma alimentação mais saudável e rica em fibras, a ingestão de bastante água e a prática de atividades físicas.

Nota da Secretaria de Saúde

A SES-GO informa que há atualmente em Goiás um total de 505.171 pessoas identificadas com diabetes no estado. O número se refere ao total de pacientes atendidos no Sistema Único de Saúde (SUS), não abrangendo, portanto, a rede privada.

O I Inquérito Telefônico de Fatores de Risco e Proteção para Doenças e Agravos Não Transmissíveis no Estado de Goiás (Vigitel Goiás), realizado em 2022, mostrou que a prevalência para o diabetes no ano de referência foi de 6,4 % para o estado. Em relação ao sexo, a frequência foi de 5,4% no sexo masculino e 7,5% no feminino.

Campanha Novembro Azul

A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) realiza nesta quinta-feira, 23, das 8h até as 12h, uma ação da Campanha Novembro Azul – Saúde do Homem e Prevenção do Diabetes na Ceasa (Centrais de abastecimento de Goiás).

O evento vai disponibilizar diversos serviços para o público masculino, como: testes de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), atendimento de saúde bucal, avaliação nutricional, aferição de pressão, testes de glicemia, Práticas Integrativas Complementares (PICs), além de distribuição de preservativos.

Em Goiás, no ano de 2019, ocorreram 22.386 óbitos de homens a partir dos 20 anos de idade. As três primeiras causas foram: doenças do aparelho circulatório (26,8%), causas externas (18,3%) e neoplasias (16,2%). Em 2020 e 2021 ocorreram 27.082 e 33.818 óbitos, respectivamente. As três primeiras causas, nos dois anos, foram doenças infecciosas e parasitárias, doenças do aparelho circulatório e causas externas.

A ação tem como objetivo a prevenção e conscientização dos homens que lideram ranking da maioria das doenças. A Ceasa tem um público diário de feirantes e visitantes de cerca de 15 mil pessoas, a maioria homens que normalmente não tem o hábito de acessar os serviços de saúde.